Associação de jogadores envia mensagem de apoio a Eduardo

'É uma situação muito infeliz. Foi uma dessas coisas que ocorrem no futebol', diz a entidade, que defende Taylor

EFE

26 de fevereiro de 2008 | 14h32

O diretor-executivo da Associação Profissional de Jogadores (PFA, em inglês), Gordon Taylor, enviou uma mensagem de apoio ao atacante brasileiro naturalizado croata Eduardo da Silva, que fraturou a perna esquerda no último sábado. O jogador, que defende o Arsenal, se machucou aos três minutos do empate em 2 a 2 entre sua equipe e o Birmingham, pelo Campeonato Inglês, ao levar uma entrada dura de Martin Taylor. O jogador foi operado e ficará fora dos gramados por nove meses. "É uma tragédia para ele, seu clube e seu país, pois também perderá a Eurocopa de 2008", comentou. Apesar da gravidade do incidente, o diretor-executivo do organismo acredita que tanto Eduardo como Taylor conseguirão seguir adiante com suas carreiras. "Trata-se de uma situação muito infeliz. Foi uma dessas coisas que ocorrem no futebol. Esta não é a primeira lesão grave neste esporte", disse Taylor à imprensa britânica. O dirigente disse que também escreveu uma nota para apoiar o jogador do Birmingham, hoje apontado por muitos como violento: "Acho que ele terá força suficiente para superar isto. Matt mostrou arrependimento e foi ver Eduardo no hospital. Ele é uma boa pessoa", indicou. O próprio técnico do Birmingham, Alex McLeish, tratou de defender seu jogador, que chegou a receber ameaças de morte. O diretor-executivo da PFA também respondeu às palavras do francês Arsene Wenger, técnico do Arsenal, que afirmou que Matt Taylor não deveria voltar a jogar futebol. Posteriormente, ele se retratou. "Os treinadores se alteram. Arsene é assim e entendo sua reação. Ele foi exagerado, mas temos de ser justos e lembrar que se retratou", disse. 

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo da SilvaCampeonato Inglês

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.