Paul White/ AP
Paul White/ AP

Associação ajudará médica afastada do Chelsea após polêmica

Criticada por Mourinho, Eva Carneiro teve cargo rebaixado

Estadão Conteúdo

23 de setembro de 2015 | 14h16

A Associação dos Médicos do Futebol, órgão que representa os médicos do futebol inglês, divulgou nesta quarta-feira um comunicado em que se declara "extremamente desapontada" com a saída de Eva Carneiro do Chelsea, depois dela perder o status de principal médica do clube londrino.

Em agosto, no empate por 2 a 2 entre Chelsea e Swansea, Eva foi criticada pelo técnico José Mourinho. O português acusou a médica de ser "ingênua", depois que ela entrou em campo para atender Eden Hazard, logo depois do time ficar com apenas dez jogadores em campo após a expulsão do goleiro Thibaut Courtois.

Em função disso, Hazard precisou deixar o campo, o que levou o Chelsea a ficar momentaneamente com apenas nove atletas. Depois, Eva acabou sendo rebaixada de função no clube londrino e deixou de acompanhar e trabalhar nos treinamentos e nas partidas, como acontecia anteriormente.

Na última terça-feira, Eva Carneiro saiu do Chelsea, mas o polêmico caso parece ainda não ter chegado ao fim. Em seu comunicado, a associação disse não ter tido condições de "negociar uma saída satisfatória" com o Chelsea, além de ter declarado que "o clube e os advogados de Eva devem discutir as questões futuras".

Assim, a associação deixou claro que vai amparar a médica em ações contra o Chelsea e Mourinho, que ainda pode receber uma punição da Associação de Futebol da Inglaterra por ter empregado uma linguagem considerada abusiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.