Ivan Storti / Santos FC
Ivan Storti / Santos FC

Associados do Santos aprovam mudança do estatuto para adequação ao Profut

Uma das alterações prevê afastamento de dirigentes caso seja constatada gestão temerária no cargo

Redação, Estadão Conteúdo

19 de outubro de 2019 | 21h11

Os associados do Santos aprovaram, neste sábado, em Assembleia Geral Extraordinária, a mudança do Estatuto Social do clube para adequação ao Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro, o Profut.

A votação ocorreu das 10h às 18h, no Ginásio Athié Jorge Cury, dentro da Vila Belmiro. Os nomes dos sócios foram divididos em dez urnas, por ordem alfabética, com o mesmo número de associados em cada urna.

A modificação do Estatuto Social foi aprovada pelos sócios do Santos por ampla maioria: dos 615 associados, 602 votaram a favor a apenas 13 foram contra a mudança.

A principal alteração do estatuto prevê o afastamento imediato de dirigentes caso seja constatada gestão temerária no cargo. O parágrafo terceiro do estatuto diz que o associado "estará sujeito à pena de inelegibilidade, não podendo concorrer a qualquer cargo eletivo no Santos, pelo período de 10 (dez) anos".

No Santos, em 2018, as contas do presidente José Carlos Peres foram reprovadas, sendo que o déficit foi superior aos 20% apontados pelo Profut como "gestão temerária".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantos Futebol Clube

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.