Lee Jin-man
Lee Jin-man

Astro da Coreia, Son assume culpa por falta de gols e mira evolução no sábado

Seleção asiática enfrentará o México podendo ser eliminada em caso de derrota

Estadão Conteúdo

22 Junho 2018 | 10h30

Melhor jogador da Coreia do Sul e destaque do Tottenham na Inglaterra, o atacante Heung-min Son passou em branco na estreia da Copa do Mundo, na derrota por 1 a 0 para a Suécia. O próprio jogador se considerou um dos responsáveis pelo resultado por não ter contribuído com gols, o que espera fazer diante do México, neste sábado, em Rostov.

México chega a Rostov preocupado com Coreia do Sul e com os gritos de sua torcida

+ Possível titular no sábado, Lee Seung-woo diz confiar em vaga da Coreia do Sul

+ Meia diz que Coreia do Sul segue de olho na classificação: 'Não vamos desistir'

"Obviamente, eu sou responsável por não ter conseguido marcar um gol, porque sou um dos artilheiros da equipe. Eu preciso liderar pelo exemplo. Preciso desempenhar melhor para ajudar meus companheiros a ganhar confiança. Se o time não conseguiu trabalhar bem, acho que é porque eu não fiz o melhor no meu papel", declarou em entrevista ao site da Fifa.

Son não escondeu a chateação pela derrota na estreia, contra um dos times que eram considerados adversários diretos pela segunda vaga do Grupo F. O jogador inclusive admitiu que o resultado mexeu com o clima na concentração sul-coreana.

"Nos preparamos para o jogo com a Suécia por um longo período, era importante por ser a estreia, mas o resultado não foi o que esperávamos. Tenho que admitir que a atmosfera na concentração não está tão boa. Mesmo assim, temos dois jogos e precisamos nos preparar bem, com uma atitude positiva", apontou.

 

A surpreendente vitória mexicana sobre a Alemanha, favorita do grupo, tornou ainda mais importante o jogo deste sábado para a Coreia, que pode ser eliminada em caso de derrota. "Estamos todos sob pressão neste momento porque o México é um time muito bom e até bateu a Alemanha na estreia. Não preciso nem dizer que este é um jogo crucial para nós."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.