Santiago Pandolfi/Reuters
Santiago Pandolfi/Reuters

Astros do Paraguai cobram ações após escândalo sexual no futebol local

Ex-jogadores pedem para pais monitorarem crianças para evitarem novos episódios, como o ocorrido no Rubio Ñu

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2018 | 07h00

Após recentes denúncias de assédio sexual na natação e ginástica dos Estados Unidos, agora é a vez do Paraguai passar pelo mesmo problema. A revelação de um escândalo em um time de futebol amador levou ex-jogadores importantes da seleção do país a alertarem as famílias para a necessidade de acompanhar o que se passa nos clubes onde seus filhos atuam.

+ Comitê dos EUA se desculpa com vítimas de abuso sexual

+ Leia as últimas de esportes

A polêmica no Paraguai começou no pequeno time do Rubio Ñu, que disputa divisões inferiores e tem o mesmo nome de uma equipe de Assunção que joga a segunda divisão do país. O presidente desta equipe, Antonio González, admitiu caso afetivo de dois anos com o jogador Bernardo Caballero depois do vazamento nas redes sociais de fotos íntimas dos dois juntos.

A imprensa local noticiou que as imagens foram divulgadas por ciúmes. González afirmou ser vítima de chantagem, pois o relacionamento ficou abalado após o jogador contrariá-lo e decidir trocar de empresário. Já Caballero denunciou que o presidente assediava os jogadores em troca de promessas de melhores contratos.

No Twitter, o ex-goleiro da seleção paraguaia José Luís Chilavert lamentou o caso. "Saibam com quem os seus filhos trabalham em todos os esportes. Não os deixem sozinhos", escreveu.

A revelação do caso mexeu também com o ex-meia Romerito, ídolo do Fluminense no Brasil. Morador de Luque, onde fica o clube amador pivô do escândalo, ele disse que na cidade são conhecidas outras histórias parecidas com envolvimento do mesmo dirigente com atletas.

"Aqui no Paraguai ficamos atentos, porque é perigoso ter esse problema em escolinhas de futebol. O esporte requer cuidado dos pais, para acompanharem mais e saber onde estão os seus filhos", disparou Romerito, por telefone, ao Estado. "Infelizmente esse time joga um campeonato pequeno e sem organização séria", comentou.

O escândalo no clube levou o presidente a se pronunciar em vídeo transmitido ao vivo pelo Facebook. Nele, González disse ter propiciado ao jogador do time andar em carros de luxo e lamentou que o relacionamento entre os dois tenha sido levado a público. "Um homem é mil vezes mais ciumento do que uma mulher", disse.

O ex-goleiro da seleção do país, Gato Fernández, disse que a população paraguaia ficou chocada com a revelação do escândalo. "O caso aqui no Paraguai tem feito as pessoas a tomarem mais atitude. Há uma corrente forte para se ter mais atenção, para que as crianças não fiquem desamparadas em escolinhas e sob risco de abuso", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolParaguai [América do Sul]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.