AFP
AFP

Atacante da Túnisia diz que seleção será páreo duro para Inglaterra e Bélgica na Copa

Anice Badri aposta em classificação do país para oitavas do Mundial

Estadão Conteúdo

02 Maio 2018 | 11h17

Anice Badri, atacante da seleção tunisiana, não se assustou com a chave difícil em que sua seleção caiu na Copa do Mundo. O grupo G conta com a tradicional Inglaterra e a favorita Bélgica, além do Panamá, mas ainda assim o atleta de 27 afirmou ao site da FIFA que a meta da seleção africana, de passar da primeira fase, pode ser alcançada.

+ Fifa coloca brasileiro na lista dos árbitros de vídeo para a Copa

+ Lesões de jogadores amedrontam seleções às vésperas da Copa do Mundo

+ Rússia anuncia inauguração de palco da Copa com portões abertos

"Nós sabemos controlar as partidas, jogar como uma unidade, fazer nossas habilidades aparecerem, manter a posse e fazer a diferença no ataque. Nossos adversários vão sofrer contra nós", garante o atacante.

Uma das estrelas da liga tunisiana, Badri esbanja confiança. "Estou certo de que a Tunísia pode ser uma das revelações do torneio, e não digo isso apenas porque parece legal. Estamos em 14º no ranking da FIFA, o que mostra o quão bons somos, e vamos provar isso no campo", diz o atacante do Espérance.

Badri foi fundamental para a classificação tunisiana para a Copa, ao marcar o gol de empate de sua seleção contra a República Democrática do Congo, que igualou o placar em 2 a 2, que encaminhou a vaga para a Rússia, confirmada posteriormente. "Eu ando na rua e as pessoas ainda falam comigo sobre o lance. Foi quando tudo mudou para mim e quero manter o nível de confiança que esse status trouxe para mim", finaliza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.