Dylan Martinez/Reuters
Dylan Martinez/Reuters

Atacante do Marrocos descobre que vai ser pai no mesmo dia que fez gol contra

Bouhaddouz acabou sendo decisivo em derrota para o Irã

Estadão Conteúdo

16 Junho 2018 | 18h26

O atacante do Marrocos Aziz Bouhaddouz viveu na última sexta-feira o pior dia de sua carreira, mas o melhor dia de sua vida. Autor do gol contra, aos 49 minutos do segundo tempo, na derrota de sua seleção para o Irã, pelo Grupo B da Copa do Mundo da Rússia, o jogador recebeu uma notícia inesperada logo após a partida: vai ser pai!

+ Atacante vira desfalque do Marrocos contra Portugal após pancada na cabeça

+ Técnico do Marrocos lamenta derrota: 'Foi o pior que poderia ter acontecido'

"Acabei de falar com minha esposa e estamos esperando um bebê", disse Aziz Bouhaddouz, em declaração publicada pelo jornal Marca, da Espanha, sobre a ligação telefônica que recebeu de sua mulher minutos depois de tomar banho, ainda no estádio de São Petersburgo.

Depois do duelo, ele deixou o campo chorando, consolado pelos companheiros de seleção. "Infelizmente, o futebol é assim, mas estou feliz por outras coisas", acrescentou o jogador do St.Pauli, da segunda divisão do futebol alemão. "Agora espero que possamos derrotar Portugal", destacou o atacante, de 31 anos, em um misto de decepção profissional, euforia pessoal e otimismo futebolístico.

O gol contra praticamente colocou um final ao sonho marroquino de chegar às oitavas de final do Mundial, já que as próximas partidas são contra Portugal, nesta quarta-feira, e Espanha, no dia 25. O revés se torna ainda mais simbólico por causa da esperança dos marroquinos para passar da fase inicial da Copa, no retorno do país depois de duas décadas fora.

 

Uma das estrelas do Irã, Reza Ghoochannejhad enviou uma mensagem de encorajamento a Aziz Bouhaddouz. "Não o conheço pessoalmente, mas na vida às vezes você ganha e às vezes você perde. Não se abale por esse gol contra", escreveu Ghoochannejhad no Instagram. "Somos todos profissionais e isso faz parte do futebol, estou muito feliz e orgulhoso do meu país, mas queria desejar-lhe o melhor", concluiu o iraniano, segundo o diário espanhol.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.