Atacante não se considera a solução para problemas do Santos

Apesar dos gols, atacante adota discurso humilde, elogia companheiros de ataque e diz que veio para ajudar

Sanches Filho, especial para o Estadão,

22 de julho de 2007 | 20h52

Kléber Pereira confirmou que é o jogador que faltava ao ataque do Santos, ao marcar dois gols e ter bom rendimento na vitória por 3 a 1 contra o Figueirense. "Espero seguir assim. com a mesma pegada e determinação, disse o centroavante, que recebeu elogios dos companheiros e, principalmente, de Vanderlei Luxemburgo. "Ao entrar em campo me senti como uma criança que está realizando o seu sonho. E ao sair, senti as pernas pesadas", disse o atacante.   Mesmo com os aplausos que recebeu da torcida ao ser substituído por Moraes, a 10 minutos do fim do jogo e dos elogios dos companheiros, o centroavante repetiu que não se considera a solução para os problemas ofensivas do Santos.   "Quando eu cheguei, falaram que o time não fazia gol, mas em dois jogos na Vila Belmiro, antes da minha estréia, foram marcados sete. Kléber Pereira veio para ajudar e o Santos tem outros jogadores que fazem gols, como Marcos Aurélio, Pedrinho e Tabata."   Para Luxemburgo, Kléber Pereira mostrou a importância que tem um jogador que sabe fazer gol e que preocupa a defesa adversária, lembrando que no primeiro semestre trabalhou com a dificuldade de não ter um companheiro para Marcos Aurélio no ataque. "Usei até o Rodrigo Tabata e outro dia dei uma declaração dizendo que até um poste resolveria o nosso problema, para dar uma idéia da falta que sentimos de um homem de área na Libertadores."   O lateral-esquerdo Kléber, que fez o cruzamento preciso para o primeiro gol de Kléber Pereira, também destacou a mudança do time com a presença do centroavante. "Ele se movimenta bastante nas imediações da área e agora temos uma referência no ataque. Temos que aproveitar", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.