Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Atacante Neymar já fez exames médicos à pedido do Real Madrid

Santista esteve em um hospital de São Paulo acompanhado pelo médico Carlos Diez

Luís Augusto Monaco e Luiz Antônio Prósperi, do estadão.com.br,

18 de setembro de 2011 | 00h59

SÃO PAULO - O que o Barcelona julgava impossível de acontecer parece estar prestes a se tornar realidade: o Real Madrid trabalhou na surdina depois que explodiu a revelação feita pelo estadão.com.br dia 3 de que o rival tinha chegado a um acordo com o Santos para contratar Neymar, e está muito perto de definir a compra do craque. E o detalhe é que o acordo é para ele chegar ao clube depois da Olimpíada de Londres, no meio do ano que vem, e não em janeiro de 2013 como previa a operação com o clube catalão.

O maior indício disso é que, segundo uma fonte do 'Estado', na noite de sexta-feira Neymar esteve na unidade Morumbi do Hospital São Luiz fazendo exames sob a supervisão de Carlos Diez, chefe do departamento médico do Real Madrid, até a 1h da madrugada de sábado. O garoto estava acompanhado por seu pai, Neymar da Silva Santos, e seu procurador, Wagner Ribeiro. De acordo com a fonte, a bateria de exames - que incluiu teste ergométrico, radiografias e exames das articulações - chama-se "pré-Uefa" e é requisito indispensável para o atleta poder ser inscrito na Europa. Ainda de acordo com essa pessoa, o comentário no grupo era de que segunda-feira o contrato com o clube merengue seria assinado. A reportagem tentou falar com o pai de Neymar e Wagner Ribeiro, mas não conseguiu.

Caso isso se confirme será um golpe duro para o presidente do Barcelona, Sandro Rosell. Depois que o diretor de futebol Raúl Sanllehí veio ao Brasil e se acertou com a diretoria do Santos, ele esperava apenas a assinatura dos documentos de transferência. Só que isso não ocorreu porque o Real fez uma nova proposta, colocando mais dinheiro na mesa, e paralisou a diretoria santista e o estafe de Neymar. Ver o craque escapar por seus dedos não será fácil.

O acordo do Barça com o Santos era o seguinte: 60 milhões de euros (R$ 138 milhões), incluindo nesse valor um amistoso no Brasil para celebrar o centenário do Santos em 2012 e as comissões para os intermediários, e o jogador se apresentaria na Espanha em janeiro de 2013.

Enquanto em Barcelona reinava o otimismo nas últimas duas semanas, em Madri imperava o silêncio. Nenhum dirigente do clube falava, e nos jornais esportivos não havia mais matérias sobre Neymar nem manchetes sobre a negociação.

Mas no meio da semana surgiu a informação de que um enviado do presidente Florentino Perez estava no Brasil para tentar virar o jogo. De fato uma pessoa do clube esteve com Marco Motta, advogado que trabalha para Wagner Ribeiro, discutindo detalhes do contrato que seria apresentado a Neymar.

Fontes do clube começaram a deixar vazar que o Real tinha um "trunfo" nas mãos para usar na hora certa e dar o bote. A presença do chefe de seu departamento médico em São Paulo mostra que a hora chegou. Resta saber qual é esse trunfo.

Wagner Ribeiro sempre trabalhou para que o negócio fosse fechado com o Real Madrid. E ele e os dirigentes merengues concordavam que o melhor para Neymar seria chegar à Europa para começar uma temporada, no meio do ano, e não em janeiro. Os motivos: chegar durante o inverno e com o time já montado poderia atrasar sua adaptação.

Florentino Perez e o técnico José Mourinho queriam ter Neymar na janela que se fechou dia 31 de agosto, mas o garoto fez questão de defender o Santos no Mundial de Clubes em dezembro no Japão - quando poderá encontrar o Barcelona na final. Diante disso, o martelo está prestes a ser batido para que ele comece a temporada 2012/2013 em Madri.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolNeymarBarcelonaReal Madri

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.