Atacantes do Santos se dizem tranqüilos

O pacotão de reforços que a diretoria santista tenta viabilizar para a seqüência do Brasileiro anda provocando arrepios em alguns jogadores, que acreditam em perder espaço com a concorrência. O técnico Gallo tratou de acabar com a ciumeira na primeira oportunidade que teve. ?Jogador de time grande tem de estar sempre acostumado e preparado para brigar por posição. Não pode haver temor com a chegada de reforços?, comentou.Frontini, Basílio e Geílson, os principais atacantes do time, estão preocupados. Curiosamente, na vitória sobre o Palmeiras, os dois primeiros balançaram a rede e ganharam sobrevida no ataque. ?O Santos é grande. E os reforços, quando chegarem, serão bem vindos. Eles nos ajudarão a ganhar títulos?, comentou Frontini, com aparente tranqüilidade.Contra o Fluminense, domingo, em Volta Redonda, o técnico Gallo ainda não poderá contar com o meia Giovanni, machucado. O treinador acredita que seu principal atleta retorne ao time na partida contra o Fortaleza, dia 1.º de outubro, na Vila Belmiro. Após três partidas, a dupla Kléber e Ricardinho começa a mostrar afinidade. Contra o Palmeiras, o lateral marcou bem e encostou no parceiro com mais freqüência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.