Atacar sempre, filosofia do São Paulo

O velho ditado "a melhor defesa é o ataque" foi adotado como filosofia pelo técnico Nelsinho Baptista no São Paulo para a partida diante dos uruguaios do Peñarol, amanhã, às 15 horas, no Morumbi, na estréia da equipe na Copa Mercosul. Para isso, aposta na versatilidade de seus atletas. Os laterais e volantes terão liberdade e os atacantes, a responsabilidade de ajudar na marcação. O alicerce do novo esquema é o meio-de-campo, comandado pelo veterano Leonardo, que volta a vestir a camisa tricolor. "Estou ansioso, não vejo a hora de entrar, jogar e ganhar", afirmou. Além do meia, os companheiros do setor - Alexandre, Fábio Simplício e Carlos Miguel -, devem formar um carrossel, armando as jogadas para França e Luís Fabiano. "Teremos um time ofensivo, com três pontas-de-lança e, ao mesmo tempo, um esquema forte de marcação, com três volantes combatendo," disse Nelsinho, que testou e aprimorou o esquema nos treinos coletivos. "Com isso, posso iniciar de uma forma e ter opções para mudar. E não farei as coisas às cegas." O técnico garante ter preparado seus atletas para o duelo com o Peñarol. "Conheço bem o estilo deles, que são as bolas altas. Entretanto, estamos preparados. Eles foram bem avaliados", enfatizou Nelsinho. Com a dupla função para os meias, os laterais Reginaldo Araújo e Gustavo Nery ganham proteção e maior liberdade para atacar. Desfalques - Mas o São Paulo ainda não terá força máxima. Nelsinho não contará com Belletti, que está na seleção e retorna amanhã ao País; Emerson, que ficará em treinamento intensivo durante a semana para aprimorar a forma física; e Rogério Ceni, suspenso pela diretoria. A estréia do zagueiro está prevista para sábado à noite, no jogo diante do Talleres, em Córdoba, na Argentina. O volta do goleiro continua indefinida. Rogério, punido com 28 dias de "gancho", deve se reunir na semana que vem com o presidente do clube, Paulo Amaral, para pedir perdão por suas declarações. No entanto sua advogada, Gislaine Nunes, nega. "Não posso confirmar o encontro se ninguém do clube procurou o Rogério." O goleiro, porém, escreveu uma carta para Paulo Amaral, aceitando pedir desculpas, e isso pode reabrir o diálogo com o presidente. O dirigente inicia amanhã uma viagem para tratar de assuntos particulares. De saída - Souza renovou contrato hoje, mas deve ter o passe emprestado ao Atlético-PR.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.