Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Ataíde diz negociar com dois meias para o lugar de Kaká no São Paulo

Vice de futebol descarta Cleiton Xavier, mas promete conversa com Muricy Ramalho para avaliar alternativas

Fernando Faro, O Estado de S. Paulo

09 de dezembro de 2014 | 18h16

Achar um substituto para Kaká é a nova prioridade do São Paulo após o clube abrir o mercado de contratações com a chegada de Carlinhos, do Fluminense. O Tricolor concorda com Muricy Ramalho que o setor é o que mais preocupa para o ano que vem e já busca reposições para o camisa 8.

O vice de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, afirmou já conversar com dois nomes para suprir a ausência de Kaká, que vai para o Orlando City no ano que vem. Sem dar pistas sobre os alvos, ele se mostrou confiante em fechar com pelo menos um deles.

"Estou falando com esses dois jogadores, mas não posso dar nenhuma pista porque vocês (jornalistas) são muito bons e vão matar na hora quem são essas pessoas. Posso dizer que estamos conversando e vamos encontrar alguém para o lugar do Kaká", disse Ataíde ao Estado.

O setor de criação é o que mais preocupa, já que conta no momento apenas com Ganso, Michel Bastos e Boschilia. Como vinha jogando com dois meias, a diretoria espera pelo menos mais um reforço para dar respiro a Muricy e o técnico já deixou claro que espera novidades para a posição.

Ataíde também negou interesse em Cleiton Xavier, atualmente no Metalist e que quer voltar para o Brasil no ano que vem. O dirigente diz que o atleta foge do perfil buscado pelo clube, que são atletas na casa dos 26 anos. Pesa também contra o ex-palmeirense o fato dos ucranianos não se interessarem em liberá-lo sem custos e o alto salário recebido na Ucrânia.

"Não é um nome que nos interessa; dentre os nomes que conversamos o Cleiton não foi citado, para mim é novidade. Na minha opinião, o jogador com quem estou conversando é ainda melhor do que ele", diz Ataíde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.