José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Ataíde nega racha na cúpula do São Paulo por contratação de Lugano

Dirigente e presidente do clube preferiram não contratar defensor

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de julho de 2015 | 17h13

O vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, negou nesta quinta-feira ter existido desentendimento na diretoria sobre a possibilidade de contratar o zagueiro Diego Lugano. Embora o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, tenha manifestado interesse no jogador, Ataíde e o técnico Juan Carlos Osorio preferiram não contratar o uruguaio.

Após deixar o futebol sueco, o defensor estava livre no mercado e antes de assinar com o Cerro Porteño, do Paraguai, esperava ser procurado pelo clube do Morumbi. "É apenas uma prova que existe uma democracia no São Paulo. É um exemplo que precisa ser explorado. Quem manda é o presidente, mas ele aceitou os meus argumentos", disse Ataíde nesta quinta no desembarque da equipe no aeroporto de Congonhas após a derrota para o Atlético-MG.

Em entrevista exclusiva ao Estado na última semana, Aidar contou que conversou com o empresário de Lugano, Juan Figer, e consultou Ataíde e Osorio antes de definir se contrataria ou não o defensor. "Nós não estamos precisando de zagueiro pelo lado direito, mas de um canhoto", explicou nesta quinta Ataíde, que preferiu não trazer o jogador de 34 anos para dar espaço aos mais jovens do elenco.

O São Paulo contratou nesta semana o zagueiro Luiz Eduardo, de 28 anos, que veio do São Caetano. O jogador tem um chute forte de perna esquerda e chega para a vaga deixada por Dória, que retornou de empréstimo para o Olympique de Marselha, da França. "Lugano foi muito importante para esse time, jogou muito, mas agora nós precisamos de um zagueiro canhoto. Lucão jogou nessa posição e ficou claro que para ele era difícil lidar com a bola na perna esquerda", comentou Osorio após a derrota no Mineirão.

Na última semana o colombiano viajou ao Paraguai para ver a semifinal da Copa Libertadores entre River Plate e Guaraní e aproveitou a passagem por Assunção para conversar com Lugano, além do técnico Francisco Arce, que agora comanda Olimpia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.