José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Ataíde nega racha na cúpula do São Paulo por contratação de Lugano

Dirigente e presidente do clube preferiram não contratar defensor

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de julho de 2015 | 17h13

O vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, negou nesta quinta-feira ter existido desentendimento na diretoria sobre a possibilidade de contratar o zagueiro Diego Lugano. Embora o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, tenha manifestado interesse no jogador, Ataíde e o técnico Juan Carlos Osorio preferiram não contratar o uruguaio.

Após deixar o futebol sueco, o defensor estava livre no mercado e antes de assinar com o Cerro Porteño, do Paraguai, esperava ser procurado pelo clube do Morumbi. "É apenas uma prova que existe uma democracia no São Paulo. É um exemplo que precisa ser explorado. Quem manda é o presidente, mas ele aceitou os meus argumentos", disse Ataíde nesta quinta no desembarque da equipe no aeroporto de Congonhas após a derrota para o Atlético-MG.

Em entrevista exclusiva ao Estado na última semana, Aidar contou que conversou com o empresário de Lugano, Juan Figer, e consultou Ataíde e Osorio antes de definir se contrataria ou não o defensor. "Nós não estamos precisando de zagueiro pelo lado direito, mas de um canhoto", explicou nesta quinta Ataíde, que preferiu não trazer o jogador de 34 anos para dar espaço aos mais jovens do elenco.

O São Paulo contratou nesta semana o zagueiro Luiz Eduardo, de 28 anos, que veio do São Caetano. O jogador tem um chute forte de perna esquerda e chega para a vaga deixada por Dória, que retornou de empréstimo para o Olympique de Marselha, da França. "Lugano foi muito importante para esse time, jogou muito, mas agora nós precisamos de um zagueiro canhoto. Lucão jogou nessa posição e ficou claro que para ele era difícil lidar com a bola na perna esquerda", comentou Osorio após a derrota no Mineirão.

Na última semana o colombiano viajou ao Paraguai para ver a semifinal da Copa Libertadores entre River Plate e Guaraní e aproveitou a passagem por Assunção para conversar com Lugano, além do técnico Francisco Arce, que agora comanda Olimpia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.