José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Ataíde prepara dossiê contra Aidar e promete divulgar acusações

Ex-dirigente do São Paulo acusa presidente de irregularidades

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2015 | 18h35

O ex-vice-presidente de futebol do São Paulo, Ataíde Gil Guerreiro, promete mostrar ao Conselho Deliberativo documentos para provar irregularidades do presidente do clube, Carlos Miguel Aidar, em casos de transferências de jogadores. Ataíde comunicou o objetivo a pessoas próximas e vai elaborar um dossiê com acusações graves ao mandatário do time do Morumbi.

O plano é forçar Aidar a renunciar ao cargo e começar uma reformulação completa no comando do São Paulo. Os dois dirigentes romperam relação na segunda-feira, quando tiveram uma discussão ríspida em uma reunião. O conflito fez o presidente exonerar o então vice de futebol, cargo de confiança da gestão e responsável pelas contratações e por organizar o elenco.

Ataíde quer mostrar os documentos que tem para comprovar irregularidades da gestão e provar também que a culpa seria de Aidar e não dele. O material contempla informações sobre transferências de jogadores, como a saída do lateral Douglas para o Barcelona, a chegada do ex-palmeirense Wesley, fora a contratação de Iago Maidana, que vai a julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Após romper com Ataíde, Aidar viu os diretores começarem um ato de demissão coletiva. O presidente, então, solicitou para que todos pedissem para sair e desde terça-feira, está isolado no cargo. O mandatário aposta em um encontro com ex-presidentes do São Paulo para buscar apoio e evitar a crise, que pode levá-lo ao processo de impeachment ou a renúncia.

Dentro do clube conselheiros afirmam que a pressão é muito grande para a saída de Aidar. A oposição promete protocolar até esta sexta-feira uma representação contra o presidente e tenta convencer demais membros a não aceitarem convites para retornarem à diretoria, medida que forçaria o isolamento do presidente do São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.