Ataliba só pensa em reforçar o Coritiba

Enquanto a diretoria do Coritiba tenta de todas as formas provar que não é a responsável pelo erro que originou a omissão do nome do volante Ataliba no Boletim Informativo Diário (BID) da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e evitar a perda de seis pontos, o jogador está retomando os treinamentos, depois de se recuperar de dores em um músculo da coxa direita. "Se a documentação estiver certa posso jogar já no domingo", acredita Ataliba. Curtindo em casa o filho, que está com sete meses, o jogador demonstra muita tranqüilidade. "Não tenho nenhuma culpa." Mas também não culpa funcionários do Coritiba, que se esqueceram de comferir a listagem antes do início da competição. "O ser humano está sujeito a erros e eles existem, mas o Coritiba tem profissionais competentes. Confio neles", acentua. "Nós também erramos em campo e nossos erros são públicos." Aos 25 anos, Carlos Eduardo Soares, que tem semelhanças com o jogador Ataliba, que teve sucesso no Corinthians no início da década de 80, veio ao Paraná em 1999, contratado pelo Coritiba. Natural de Paulínia (SP), ele atuava pela Ponte Preta desde 1997, quando ajudou o time no acesso à Série A. Em 2002, teve uma passagem pelo Vissel Kobe, do Japão, retornando no ano seguinte, quando foi emprestado ao Sport e ajudou na conquistado título pernambucano. As boas atuações no clube nordestino fez com que o técnico Antônio Lopes o chamasse de volta, assumindo a camisa titular do Coritiba e conquistando pela segunda vez o campeonato paranaense. Com contrato assinado com o Coritiba até 31 de dezembro, o jogador pôde ser registrado normalmente para a disputa da Taça Libertadores da América. Agora aguarda apenas que o problema de seu registro para a competição nacional seja solucionado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.