Ataque: a preocupação no Palmeiras

Apesar de ter considerado boa a estréia do Palmeiras no Grupo 4 da Libertadores - empate em 1 a 1 com o Cerro Porteño, no Paraguai -, o técnico Candinho não está nada satisfeito com o rendimento do ataque do time. Ele vem fazendo seguidas alterações no setor ofensivo, e acredita ainda não ter encontrado a formação ideal. "Leva um tempo para encontrar uma boa dupla de ataque. Esse tipo de coisa não acontece da noite para o dia", diz Candinho.Nos dois últimos jogos, ele escalou Ricardinho ao lado de Osmar. "É um ataque de estatura baixa (ambos têm 1,73m), e muito inexperiente. Um tem 20 e o outro 24 anos. A experiência eles só vão adquirir jogando", diz o técnico.A maior crítica de Candinho, porém, é com os erros de finalizações de seu ataque. "Tivemos cinco boas chances de gol contra o Cerro, e não concluímos bem. Eles (os atacantes) têm se afobado demais".O técnico não esconde que gostaria de contar com reforços para o ataque, embora ainda ache que a contratação mais urgente é a de um armador. Ele espera que Warley e Muñoz se recuperem logo - o primeiro deve voltar a treinar com bola na semana que vem e o segundo, em um mês. Enquanto isso, Candinho segue fazendo experimentos. "No segundo tempo (contra o Cerro), adiantei o Diego para o ataque porque ele chuta muito bem de esquerda".No total, em 13 jogos no ano, o Palmeiras já teve seis duplas de ataque diferentes iniciando como titular. A mais regular é exatamente a dupla Ricardinho e Osmar. Os dois foram titulares em cinco partidas.Ricardinho marcou seis gols e Osmar, três.Ambos reconhecem que precisam evoluir bastante. "É até normal essa coisa de perder algumas chances. Mas estamos trabalhando para melhorar.Não podemos nos abater, pois, a qualquer momento, podemos marcar. O importante é que conseguimos pelo menos evitar a derrota no Paraguai", disse Osmar, que comentou também o gol marcado contra o Cerro, que garantiu o empate ao time alviverde. "Eu estava entre o zagueiro e o goleiro. Consegui dar apenas um toque de bico, que garantiu esse resultado para o Palmeiras".Apesar de não estar totalmente satisfeito, Candinho já confirmou que manterá Ricardinho e Osmar como titulares no clássico de domingo contra o Santos, no Parque Antártica. A maior dor de cabeça do treinador será para escalar o meio-de-campo. Ele não poderá contar com Magrão e Diego Souza, suspensos. Corrêa, que vem sendo escalado na lateral, pode voltar ao jogar no meio, na vaga de Magrão. Cristian e Marcel são os candidatos para entrar no lugar de Diego Souza.Por motivos de segurança, os ingressos para o clássico serão vendidos somente até às 12h de domingo. A intenção é evitar tumultos na entrada do jogo, que começará às 16h.Apesar de o Palmeiras estar a 14 pontos do líder São Paulo, Candinho não quer ver ninguém desanimando no Paulistão. Ele reconhece, porém, que a prioridade agora é a Libertadores da América. Na próxima quinta-feira, o time volta a atuar pelo torneio continental. Recebe no Parque Antártica o venezuelano Deportivo Táchira, que lidera o Grupo 4, já que venceu o Santo André na estréia por 1 a 0, ontem (02).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.