Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Ataque corintiano aumenta sua inoperância

Corinthians não marcou gols em quatro jogos do Brasileirão: time foi às redes apenas seis vezes em nove partidas. Pato está devendo

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

29 de julho de 2013 | 07h00

SÃO PAULO - Pato tinha sido vaiado na derrota para o Atlético Mineiro por 1 a 0. Como o ataque do Corinthians vive um momento ruim, sua entrada foi festejada aos 17 minutos do segundo tempo pelos mais de 30 mil torcedores que foram ao Pacaembu. E Pato teve a chance de se redimir. Ele ficou cara a cara com Rogério Ceni, após um lançamento de Guilherme, mas finalizou mal, para fora. O atacante corintiano teve ainda duas chances de gol, ambas de cabeça. Numa delas a zaga cortou, e na outra ele mandou para fora.

Esses erros escancaram o aproveitamento ruim dos atacantes do time - seis gols em nove jogos. Pato, que provou o quanto pôde Ceni, dificultando a reposição de bola, entrou no lugar de Guerrero. O que o clássico deixa de lição para Tite é que ele pode mudar mais uma vez a equipe e voltar a jogar com dois meias. Renato Augusto, que entrou no segundo tempo, deu mais poder de fogo ao time.

O técnico, no entanto, não sinalizou que irá fazer mudanças no time para a partida de quarta-feira, contra o Grêmio, no Pacaembu. Tite também reconheceu que o São Paulo entrou em campo com uma postura defensiva, mas atribuiu o placar sem gols à baixa produtividade de seu time no jogo. "Tivemos poucas chances, faltou produção, a contundência tinha de ser melhor. Quando não tivemos precisão, teve o Rogério para fazer as defesa", disse o técnico.

Tudo o que sabemos sobre:
BrasilerãoCorinthiansfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.