Gustau Nacarino/ Reuters
Gustau Nacarino/ Reuters

Ataque do Barcelona caminha para um recorde de gols

Neymar, Suárez e Messi já fizeram 95 gols na temporada

O Estado de S. Paulo

23 de abril de 2015 | 07h00

O crescimento de Neymar em sua segunda temporada na Espanha e a chegada de Luis Suárez transformaram o trio de ataque do Barcelona - que é liderado por Messi - numa máquina capaz de aniquilar os adversários. Juntos, eles já marcaram 95 gols. E faltam apenas seis para se consagrarem como integrantes do ataque mais devastador da história do clube.

Em seu primeiro ano no Barça, sob a direção do técnico argentino Gerardo “Tata” Martino, Neymar marcou apenas 14 gols. Nesta, com mais confiança e mais entrosado com Messi, já balançou a rede 30 vezes. E tirou o time do sufoco em algumas partidas.

A importância cada vez maior de Neymar e Suárez para a equipe ficou clara nos jogos do mata-mata da Liga dos Campeões. Messi, que tinha feito oito gols nos seis jogos da fase de grupos, não anotou nenhum nas oitavas nem nas quartas de final. E o time não perdeu poder de fogo graças ao instinto goleador do brasileiro e do uruguaio.

Nas oitavas contra o Manchester City, Suárez marcou os dois da vitória por 2 a 1 na Inglaterra (Messi errou um pênalti nesse jogo) e Rakitic marcou no 1 a 0 no Camp Nou, em jogo que o grande destaque foi o goleiro inglês Joe Hart.

Nas quartas, Suárez (2) e Neymar fizeram os gols do triunfo por 3 a 1 sobre o PSG na França, e Neymar guardou os dois na vitória por 2 a 0 na partida de volta.

O trio de ataque mais prolífico da história do Barcelona foi formado por Messi, Eto’o e Thierry Henry na temporada 2008/2009 - a primeira do time sob o comando de Pep Guardiola e que ficou marcada como a da conquista de seis títulos (Campeonato Espanhol, Liga dos Campeões, Copa do Rei, Supercopa da Espanha, Supercopa da Europa e Mundial). Os três marcaram 100 gols, divididos da seguinte maneira: 38 do argentino, 36 do camaronês e 26 do francês.

Os números do ataque do Barcelona nesta temporada são ainda mais impressionantes quando se leva em conta que Luis Suárez ficou fora dos três primeiros meses. Ele só pôde estrear no dia 26 de outubro porque havia sido suspenso pela Fifa por quatro meses depois de ter mordido o zagueiro italiano Chiellini durante o jogo contra a Itália pela última rodada da primeira fase da Copa do Mundo. Se ele tivesse começado a se entrosar com Neymar e Messi já na pré-temporada o número de gols do trio certamente seria bem maior a esta altura.

Os três goleadores têm no mínimo nove e no máximo mais dez jogos para fazer a torcida vibrar. Faltam seis rodadas para terminar o Campeonato Espanhol (o time lidera com dois pontos de vantagem sobre o Real Madrid), as duas partidas das semifinais da Liga dos Campeões e a final da Copa do Rei contra o Atlético de Bilbao no dia 30 de maio.

A partida extra pode ser a decisão do título da Liga dos Campeões, que será disputada no dia 6 de junho no Estádio Olímpico de Berlim.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.