Ataque do São Paulo manteve retrospecto

Missão cumprida. E não é fácil derrotar o Vitória dentro do Barradão. "O gol que a gente marcou logo aos 6 minutos foi decisivo", explica o meia Fábio Simplício, responsável por puxar os contra-ataques do São Paulo a partir da abertura do placar. O São Paulo cumpriu tudo que o técnico Rojas pediu. Povoou o meio-campo e fortaleceu a marcação para neutralizar o perigoso meia do Vitória, Zé Roberto, tido como o craque do time. "O Vitória tocou bem a bola, mas nós tivemos o mérito de fazer os gols, nas oportunidades que criamos", disse. O resultado justificou a tendência apontada pelos números. O São Paulo fez gol em todos os 20 jogos do Brasileiro, enquanto o Vitória só não foi vazado em duas partidas. O confronto entre o ataque mais regular e a defesa mais generosa ficou evidente no campo. A chuva que vem caindo nos últimos dias em Salvador era um fator de preocupação dos jogadores do São Paulo. Mas o domingo de sol e a boa drenagem do estádio Manoel Barradas não prejudicaram o desempenho dos paulistas. O São Paulo veio determinado a ficar bem atrás e respeitar o adversário em sua casa. O gol só fez fortalecer esta determinação.O Vitória dava a impressão de dominar, mas nas poucas vezes que chegou, o goleiro Rogério Ceni disse presente. "Fizemos o que tinha de ser feito para sair com o resultado. É isso que faz um time que pretende ser campeão",disse, ao final do jogo. No segundo tempo, o São Paulo tratou de se prevenir e o desgaste dos jogadores prejudicou o desempenho do time. A expulsão de Alexandre, por jogo violento, deu bem uma idéia da necessidade de parar as jogadas.Marcelo Galo e Diego entraram no jogo para garantir o bicho. Tudo bem planejado para uma vitória expressiva. Basta lembrar que o maior rival do São Paulo na luta pela liderança é o Cruzeiro, que perdeu sua invencibilidade este ano diante do mesmo Vitória, no Barradão. O triunfo é ainda mais valorizado porque o São Paulo jogou com meio time reserva. Kaká e Júlio Batista estão na Seleção Sub-23, Ricardinho está machucado e o artilheiro Luís Fabiano, suspenso. O curinga Gustavo Nery e o volante Carlos Alberto não jogaram porque receberam o terceiro cartão amarelo.

Agencia Estado,

20 de julho de 2003 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.