Ataque funciona, mas São Paulo fica no empate com o Coritiba

Clube tricolor volta a utilizar os cruzamentos para marcar gols, mas não entra no G-4 do Campeonato Brasileiro

Alan Rafael Villaverde, estadao.com.br

24 de agosto de 2008 | 18h03

 Heuler Andrey/AE Rodrigo comemora o gol de empate do São Paulo; ataque funciona e defesa encontra dificuldadesSÃO PAULO - A atitude foi a esperada pela torcida, mas não foi desta vez que o São Paulo voltou a vencer fora de casa, já que ficou no empate em 2 a 2 com o Coritiba, no Couto Pereira, em partida válida pela 22.ª rodada do Campeonato Brasileiro.Veja também: 'Bom resultado no futebol é ganhar', diz Muricy Ramalho   Resultados e classificação da Série A  Faça a sua aposta no Bolão Vip do Limão  Bate-Pronto: O Grêmio começa a cair - opine sobre a rodadaCom o resultado, o São Paulo chega aos 37 pontos e recupera a quinta posição. O clube fica a um ponto do primeiro clube no G-4, o Botafogo. Já o Coritiba vê sua boa série de vitórias em casa terminar. O clube paranaense soma 36 pontos, e segue na cola das primeiras colocações.Contando com Borges no ataque, o São Paulo tinha a expectativa de marcar gols, o que aconteceu. A defesa, formada por Rodrigo, Anderson e André Dias, no entanto, falhou em dois lances e a equipe pagou caro por isso.DEFESA COM PROBLEMASO primeiro deslize da zaga aconteceu aos 12 minutos, quando Heffner desceu pela direita e cruzou forte. Nenhum zagueiro cortou e, para piorar, André Dias, ao tentar afastar a bola chutada por Ricardinho, colocou-a para dentro do gol para abrir placar para o Coritiba.A segunda falha da defesa são-paulina foi ainda mais gritante. Logo aos três minutos do segundo tempo, quando tinha o controle da partida por causa do empate ao final da primeira etapa, o São Paulo viu Keirrison receber lançamento oriundo de uma cobrança de lateral e, espertamente, encobrir o goleiro Rogério Ceni para marcar o segundo gol do time paranaense.O ATAQUE FUNCIONA No primeiro tempo, o São Paulo soube lidar com a desvantagem no placar e, aos poucos, controlar as ações no meio-campo. E, para que o empate viesse, o clube tricolor usou uma de suas armas prediletas: o cruzamento. Jean cruzou pela direita e o zagueiro Rodrigo escorou com força para marcar. Coritiba2Vanderlei; Maurício, Tiago Bernardi     e Rodrigo Mancha; Rodrigo Heffner (Leandro), Alê, Carlinhos Paraíba (Guaru), João Henrique (Hugo    ) e Ricardinho; Marlos e KeirrisonTécnico: Dorival Junior São Paulo2Rogério Ceni; Anderson; André Dias e Rodrigo; Joílson     , Jean, Richarlyson, Hugo     e Jorge Wagner    ; Borges (Aloísio) e André Lima (Dagoberto)Técnico: Muricy RamalhoGols: Ricardinho, aos 12; Rodrigo, aos 43 minutos do primeiro tempo; Keirrison, aos 3; Hugo, aos 6 minutos do segundo tempoÁrbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)Renda: R$ 588.065,00Público: 32.096 pagantesEstádio: Couto Pereira, em Curitiba, PRA igualdade no placar duraria até o começo do segundo tempo. Mas, ciente de que os cruzamentos seriam vitais para vencer a zaga do time paranaense, o São Paulo tratou de empatar o jogo mais uma vez através de uma cabeçada. Aos seis minutos, Rodrigo cruzou para a conclusão de Hugo.Empolgado com a recuperação de sua equipe, Muricy Ramalho tratou de colocar Dagoberto e Aloísio no ataque. O primeiro jogou bem, caindo pelas laterais para criar duas ótimas chances para virar o placar. Já o segundo não teve chances para desempenhar seu papel de pivô, evitando, assim, conclusões de Hugo ou Jorge Wagner, como previa o técnico tricolor.Jogando em casa, o Coritiba ainda esboçou uma recuperação nos minutos finais, mas a defesa do São Paulo, desta vez, não cometeu erros e, aos menos, garantiu ao time um ponto longe do Morumbi.Na próxima rodada, o São Paulo encara o Santos no domingo, no Morumbi, enquanto o Coritiba pega o Cruzeiro, no mesmo dia, no Mineirão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.