Mariana Greif/Reuters
Mariana Greif/Reuters

Até o Mundial, Palmeiras trabalha para manter Abel, trazer reforços e definir renovações

Leila Pereira assume o clube em 15 de dezembro com decisões importantes a tomar

Ricardo Magatti, O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2021 | 12h00

Tricampeão continental, o Palmeiras já pensa em 2022. O pensamento está, sobretudo, na disputa do Mundial de Clubes, nos Emirados Árabes Unidos, que será jogado entre os dias 3 e 12 de fevereiro. Até lá, o clube tem uma série de pendências importantes para resolver. A principal delas é a permanência de Abel Ferreira. O técnico português já avisou que fará uma "grande reflexão" com a família antes de decidir seu futuro. 

A tarefa de assegurar a continuidade de Abel e as outras missões caberão a Leila Pereira, presidente eleita que será empossada no dia 15 de dezembro. Cabe explicar que todas as decisões extracampo haviam sido paralisadas em razão da final da Libertadores. Agora, com o título assegurado, Leila e os outros dirigentes começam a organizar a casa de olho na próxima temporada.

E isso passa por, além de convencer Abel a ficar, definir as renovações ou não de Felipe Melo e Jailson, buscar reforços, emprestar ou vender alguns jogadores que pouco jogam e decidir se o diretor Anderson Barros continua no cargo.

A pendência mais importante certamente é definir a permanência de Abel. O treinador, que entrou para a lista dos grandes da Libertadores ao ganhar sua segunda taça continental, e isso de forma consecutiva, afirmou na coletiva após a vitória na final que precisa de um tempo para pensar. Embora o português tenha contrato até o final de 2022, sua manutenção não é certa porque está em seu limite físico e mental diante da maratona exaustiva de jogos do futebol brasileiro. São três títulos e seis finais em pouco mais de um ano.

"Não consigo estar na minha máxima capacidade, ter a máxima energia, é desumano o que fazem aqui. Se quiserem crescer, teremos que ter espaço para descansar. Vou parar, refletir e decidir o que for melhor, sobretudo, para o Palmeiras", avisou. Ele deixa claro que sente falta das filhas e da mulher. 

Se Leila convencer a família a se mudar ao Brasil será um passo importante para que o treinador aceite continuar seu trabalho. No início de novembro, ele completou um ano à frente da equipe. "Há um ano disse que era melhor treinador e pior filho, pai e marido. O tempo não tem preço", explicou.

Anderson Barros

Também não é certo que o discreto Andersson Barros, avesso a aparições midiáticas, siga no clube. O diretor de futebol tem contrato até o fim de dezembro deste ano e ainda não ouviu de Leila se seu vínculo será renovado. Ele dá poucas entrevistas, mas é benquisto entre os atletas e se tornou figura central para resolver problemas internos, como o mau comportamento recente de Luiz Adriano, por exemplo. 

Nesta temporada, ele enfrentou críticas de parte da torcida pela ausência de reforços. Ocorre que o presidente Maurício Galiotte mudou a política de gastos em contratações e Barros foi contratado justamente para negociar atletas encostados, não gastar valores vultosos em reforços, como fazia o antecessor Alexandre Mattos.

O atual diretor de futebol, muito mais recluso que seu antecessor, está prestigiado entre o elenco e foi muito elogiado por Abel Ferreira. O português abriu sua última coletiva citando as qualidades de Barros, responsável por reformular o grupo. O clube, de "gastão", passou a dar oportunidade para jovens talentos oriundos da base.

Renovações

Felipe Melo tem contrato até o fim deste ano e não sabe se continua no clube. Maurício Galiotte havia avisado que não estenderia o vínculo do volante. Mas a decisão cabe a Leila Pereira. Ela indicou que deseja que o capitão palmeirense permaneça. O jogador de 38 anos tem prestígio com Abel Ferreira e quer atuar mais dois anos antes de se aposentar.

"As palavras dele espelham o espírito da equipe. O que ele fala demonstra bem o espírito dos nossos jogadores", falou o treinador sobre seu capitão. Se não ficar no Palmeiras, Melo pode ter como destino o Internacional. O clube gaúcho é um dos interessados em contar com o futebol do experiente volante. .

Jailson é outro que tem contrato até dezembro e futuro incerto. É mais improvável que o goleiro reserva fique. Ele já tem 40 anos e a tendência é de que a diretoria busque um jovem para substituir Weverton quando o titular estiver a serviço da seleção brasileira.

Reforços

A austeridade financeira imperou na gestão de Galiotte, mas Leila afirmou que fará o que for possível para montar um elenco forte. "A grande prioridade é sempre lutar por um time vitorioso, que é o que o nosso torcedor quer", disse a presidente eleita. Um lateral-direito e um centroavante são as prioridades.

Ricardo Goulart e Soteldo são dois nomes que já estão sendo especulados. O primeiro vestiu a camisa do Palmeiras durante um curto período em 2019 e o segundo trocou o Santos pelo Toronto FC, do Canadá, no início deste ano. Ele estaria infeliz jogando a MLS. Certo é que a busca do Palmeiras por contratações estava congelada e deve se intensificar a partir de dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.