Josep Lago/ AFP
Josep Lago/ AFP

Athletic Bilbao segura o Barcelona e conquista título após 31 anos

Time basco foi campeão espanhol e da Copa do Rei em 1984

Estadão Conteúdo

17 Agosto 2015 | 19h17

O Athletic Bilbao segurou a pressão do Barcelona, conseguiu empatar em 1 a 1 no Camp Nou e conquistou nesta segunda-feira a Supercopa da Espanha graças a incrível goleada por 4 a 0 do jogo de ida. O troféu encerra um jejum de 31 anos do time basco sem títulos. As últimas conquistas foram o Campeonato Espanhol e a Copa do Rei em 1984.

O time de Messi dominou completamente o jogo, chegou a ter 75% de posse de bola, pressionou, abriu o placar no fim do primeiro tempo, mas não teve tranquilidade para devolver a goleada. Com um menos a partir de 10 minutos da etapa final por conta da expulsão de Piqué, o Barcelona ficou mais exposto aos contra-ataques e levou um gol que acabou de vez com as chances do time catalão.

O tropeço encerrou as pretensões do Barça em conquistar seis títulos em 2015. O clube já havia vencido o Campeonato Espanhol, a Liga dos Campeões, a Copa do Rei e a Supercopa da Europa. Faltava a Supercopa da Espanha e o Mundial de Clubes. Depois de poupar cinco titulares no jogo de ida, o técnico Luis Enrique entrou com o que tinha de melhor para tentar a virada histórica. Piqué, Mathieu, Busquets, Iniesta e Ivan Rakitic começaram entre os titulares. Apenas o lateral-esquerdo Jordi Alba, lesionado, e Neymar, com caxumba, desfalcaram os catalães.

O Barcelona começou a partida dando a impressão de que faria os quatro gols. Os 15 minutos iniciais foram um verdadeiro bombardeio ao Athletic, que se encolheu e segurou o adversário como pôde. Messi, Pedro e Piqué, que acertou a trave, tiveram a chance de marcar e não aproveitaram.

O time basco passou a apelar para a "cera". Os jogadores caíam em quase todos os lances, demoravam para repor a bola em jogo, o que passou a irritar os torcedores no Camp Nou. O relógio avançava contra o Barcelona e deixava os jogadores mais ansiosos. Em um recuo de bola errado de Pedro, Eraso avançou livre pela direita e quase marcou. Messi, que até então estava muito bem marcado, encontrou um espaço na zaga adversária e conseguiu abrir o marcador aos 43 do primeiro tempo. Após cruzamento de Rakitic da direita, Suárez ajeitou de peito e o camisa 10 bateu para o gol.

A partida seguiu tensa no início da etapa final. Piqué foi reclamar com o assistente aos 11 minutos e recebeu cartão vermelho direto. O Barcelona se desorganizou taticamente e foi para o tudo ou nada. Rakitic e Suárez tiveram boas chances para ampliar e mandaram para fora.

Aos 29 minutos veio o castigo. A defesa do Barcelona se atrapalhou, e o carrasco Anduriz se antecipou a Claudio Bravo, chutou a primeira vez em cima do goleiro, mas aproveitou a segunda oportunidade e mandou para as redes. Foi o quarto gol dele nas duas partidas da decisão. O empate acabou com as chances do time catalão conquistar a taça, pois agora precisaria marcar mais cinco vezes. No final, Kike Sola recebeu o vermelho e os dois times terminaram com dez em campo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.