Reprodução/Redes Sociais
Reprodução/Redes Sociais

Athletico-PR suspende torcedor que atirou copo de cerveja em Luciano Hang do quadro de sócios

Caso aconteceu durante o jogo da volta da final da Copa o Brasil, em dezembro; pedido de afastamento foi formulado pelos representantes do empresário, patrocinador do clube paranaense

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de abril de 2022 | 16h06

O Athletico-PR suspendeu do seu quadro de sócios o torcedor que atirou um copo de cerveja no empresário Luciano Hang durante a partida contra o Atlético-MG, na Arena da Baixada, em Curitiba, pelo jogo da volta da final da Copa do Brasil, em dezembro de 2021. O advogado Eduardo Bosse Teixeira Alves está suspenso de todas as atividades do clube, impedido até mesmo de acessar as dependências da agremiação paranaense.  

Segundo a Câmara de Ética e Disciplina do Clube, a agressão foi "inaceitável" e demonstra "ausência da capacidade de convívio do agressor com os demais sócios”. O pedido de afastamento do torcedor foi formulado pelos representantes legais de Hang, conhecido por ser o proprietário da rede de lojas de departamento Havan, patrocinadora do Athletico.

Ainda de acordo com a Câmara, o fato de o torcedor não ter demonstrado arrependimento pelo ato ou pedido de desculpas pelo ato pesou para o afastamento. “O que, para nós, é um indicativo, ao menos diante dessa análise inicial, de que o sócio que agrediu estava firme nesse propósito, descartando assim, a hipótese de ausência de intenção no arremesso”.

Eduardo Alves já havia sido demitido do escritório Araúz Advogados, onde trabalhava, depois de ter sido identificado. Nas redes sociais, ele  esclareceu que sua atitude não foi a mais condizente com a situação e deu explicações sobre sua motivação para atirar o copo de cerveja no empresário, no qual voltou a criticar. 

"Danoso, criminoso, irreparável e vexatório é usar de sua influência, motivada pelo dinheiro, para promover políticas públicas que mataram, faliram, desempregaram e prejudicaram de tantas formas a da população brasileira. Hoje perdi meu emprego, estou sendo ameaçado, minha vida virou um inferno. Mas preciso dizer: Sr. Hang, você é o que há de mais podre nesse país, e gente como você eu vou enfrentar todos os dias da minha vida, até o fim.", publicou Alves.

A agressão aconteceu no momento em que Hang interagia com torcedores do Athletico nas arquibancadas da Arena da Baixada. Após o episódio, o empresário comentou o caso nas redes, chamando o advogado como "Doutor Esquerdinha". Um boletim de ocorrência não foi realizado na ocasião. 

"Quando faltam argumentos, partem para a violência. É assim que funciona com esquerdistas que não aceitam opiniões contrárias. Eu adoro o Athletico, somos patrocinadores, meus filhos são torcedores e sei que essa pessoa não representa o clube e a torcida", escreveu Hang na época. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.