?Atleta não demonstrou arrependimento?

O jogador argentino Leandro Desábato, do Quilmes - preso em flagrante na noite de ontem no gramado do estádio do Morumbi acusado de racismo - não demonstrou arrependimento por ter ofendido o atacante Grafite. A avaliação foi feita no início da tarde desta quinta-feira pelo delegado seccional Dejar Gomes Neto, responsável pelo processo. ?Ele estava abatido, cabisbaixo. Afinal, trata-se de um atleta, que atua num clube argentino e que jamais poderia imaginar que poderia passar por uma situação dessas. Mas não demonstrou nenhum arrependimento?, disse o delegado.De acordo com o delegado, o jogador foi contraditório no depoimento. Num determinado momento, ele negou que tivesse feito comentários racistas; em outro, admitiu que xingou o brasileiro, mas ressalvou que este tipo de provocação (?negrito?) seria comum na Argentina e que não teria a conotação racista. O delegado vai requisitar imagens da tevê com as provocações do argentino e encaminhar o material a um perito da polícia técnica. O delegado disse ainda que o jogador se surpreendeu com os desdobramentos do fato. "Ele achava que só iria prestar um depoimento rápido e iria embora em seguida". Gomes Neto contou que o jogador passou a noite isolado. Recebeu atendimento médico por ter reclamado de caimbras e dores musculares, mas durante toda a manhã foi impedido de receber visitas e não foi tratado com nenhum tipo de privilégio. Pouco depois das 11 horas, recebeu alimentação. ?A mesma comida (em marmitas) que é servida aos presos nas delegacias de São Paulo?, revelou o delegado.

Agencia Estado,

14 de abril de 2005 | 12h14

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.