Atletas de Togo ameaçam não entrar em campo contra Suíça

Um membro da comissão técnica da seleção de Togo, que não quis se identificar, disse neste domingo que os jogadores ameaçaram entrar em greve e não entrar em campo na partida contra a Suíça, marcada para esta segunda, em Dortmund. Os atletas exigiriam uma solução para a questão dos prêmios por parte da federação de futebol, pendente desde antes do início do Mundial.De acordo com o dirigente, os jogadores, que teriam de ter deixado o hotel nesta manhã (horário local) para viajarem a Dortmund, se negaram a tomar o ônibus em direção ao aeroporto. O técnico Otto Pfister disse que estava na recepção do hotel à espera de que os jogadores negociassem com os dirigentes a questão da premiação à classificação para a Copa. Pfister chegou a abandonar a equipe antes da estréia e voltou ao comando do time na partida em que Togo perdeu de 2 a 1 para a Coréia do Sul.Se a ameaça for confirmada, seria a primeira vez na história das Copas que uma equipe faz grave na fase final da competição. De acordo com o jornal alemão Bild am Sonntag, o governo de Togo enviou neste sábado um negociador oficial à Alemanha, com o intuito de resolver de uma vez o problema que se arrasta há mais de uma semana. O enviado tinha prevista uma reunião com o líder dos jogadores, Emmanuel Adebayor, que encabeça a campanha pela greve no jogo contra os suíços.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.