Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
David Vincent / AP
David Vincent / AP

Atletas que amamentam poderão levar os bebês para os Jogos de Tóquio

Após ser criticado e 'examinar cuidadosamente esta situação única', Comitê Organizador muda regra para a Olimpíada

AFP, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2021 | 07h52

As atletas com bebês em idade de amamentação serão autorizadas "quando necessário" a levar os filhos para os Jogos Olímpicos de Tóquio, anunciou o Comitê Organizador depois de ser criticados por suas regras rígidas sobre a presença das famílias dos participantes no evento que começa neste mês.

As famílias dos competidores que disputarão os Jogos Olímpicos não têm o direito de comparecer ao evento devido às regras sanitárias adotadas por causa da pandemia do novo coronavírus, que resultaram em uma drástica redução do número de pessoas autorizadas a entrar no Japão. Mas o Comitê Organizador abriu uma exceção para as crianças em idade de amamentação "depois de examinar cuidadosamente esta situação única."

Os bebês, no entanto, não serão autorizados a permanecer na Vila Olímpica e devem ser hospedados em estabelecimentos privados, como hotéis. "O fato de que tantas atletas com filhos pequenos possam seguir competindo no mais alto nível é uma fonte de inspiração", afirmou o Comitê Tóquio-2020, em comunicado.

Os organizadores indicaram que estavam "determinados a fazer todo o possível para permitir a sua participação nos Jogos."

A estrela americana do futebol Alex Morgan, que tem uma filha de um ano, afirmou que a medida não é suficiente. A bicampeã mundial e medalhista de ouro em Londres-2012 tuitou: "Ainda não tenho certeza do que significa 'quando necessário'. Isto é decidido pela mãe ou pelo COI? Nós somos mães olímpicas dizendo a vocês, é NECESSÁRIO. Não fui consultada sobre a possibilidade de levar minha filha para o Japão e partiremos em sete dias."

Várias atletas reclamaram sobre as regras nas redes sociais. A jogadora de basquete canadense Kim Gaucher disse que sentia que estava sendo forçada a decidir entre ser "uma mãe que amamenta ou uma atleta olímpica". Mas a canadense elogiou a decisão dos organizadores. "Acordei com uma grande notícia esta manhã: Sophie pode viajar a Tóquio. Muito aliviada por não ter de tomar esta decisão", afirmou em um vídeo no Instagram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.