Bruno Cantini/Atlético
Bruno Cantini/Atlético

Atlético cede empate ao Patrocinense em casa e volta a tropeçar no Mineiro

Placar de 2 a 2 deixa equipe do técnico Oswaldo de Oliveira na quarta posição do campeonato

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

28 Janeiro 2018 | 19h10

O Atlético voltou a decepcionar no Campeonato Mineiro. Neste domingo, mesmo atuando com a força máxima e após abrir 2 a 0 no primeiro tempo, o time não conseguiu sustentar a vantagem e só empatou por 2 a 2 com o Patrocinense, no Independência, na partida válida pela quarta rodada.

+ Leia mais notícias sobre o Atlético-MG

+ Confira a tabela de classificação do Campeonato Mineiro

Após poupar os titulares na derrota para o Villa Nova na última quinta-feira, o técnico Oswaldo de Oliveira escalou o melhor do que tinha à disposição no duelo deste domingo. E os jogadores responderam bem na etapa inicial, quando a equipe abriu 2 a 0, com boa produção ofensiva. Mas não manteve o rendimento no segundo tempo, deu espaços na defesa e acabou permitindo o empata do Patrocinense em duas jogadas aéreas.

O novo tropeço deixou o Atlético com cinco pontos, na quarta posição no Mineiro, duas à frente do Patrocinense, que tem a mesma pontuação e ocupa o sexto lugar. O Atlético voltará a jogar no próximo domingo, em Patos de Minas, contra a URT. No mesmo dia, o Patrocinense será mandante contra o Democrata de Governador Valadares.

O JOGO

O Atlético teve um ótimo início de jogo no Independência. Jogando com a bola no chão e trocando passes no setor ofensivo, o time criou várias chances de gol. A primeira delas foi aos seis minutos, em chute de longe de Otero, que foi defendido por Neguete.

Com o passar do tempo, a pressão foi se intensificando, com o Atlético dando mais trabalho ao goleiro da Patrocinense. Aos 12 minutos, ele defendeu um chute colocado de Cazares após passe de Fábio Santos. Depois, aos 14, o equatoriano também parou novamente em trama que envolveu novamente o lateral-esquerdo e também Elias.

Até então sob pressão, o Patrocinense quase marcou em um contra-ataque muito bem concluído por Berger, que parou em ótima defesa de Victor. Mas o lance foi mais um susto do que uma mudança no rumo da partida, tanto que pouco depois o Atlético abriu o placar. Foi em uma cobrança de escanteio executada por Otero e que terminou com o gol de Leonardo Silva, o seu 30º pelo clube.

O gol não levou o time a reduzir a produção ofensiva. Assim, continuou tendo oportunidades, como em uma finalização de Ricardo Oliveira da entrada da área que passou perto da meta defendida por Neguete e em mais um chute de longe que foi defendido por Neguete. E, quase na saída do intervalo, o Atlético acabou sendo premiado com o segundo gol. Após troca de passes, Fábio Santos cruzou para a área e Diego Borges cabeceou para a própria meta, levando o Atlético a ir para o intervalo vencendo por 2 a 0.

Com a vantagem conquistada, o Atlético diminuiu o ritmo no segundo tempo. E isso acabou custando caro, permitindo que o Patrocinense reagisse e marcasse aos 14 minutos. Em uma bela jogada pela direita, Ademir passou por Fábio e cruzou para Marcelo Régis fazer o seu gol de cabeça.

Após o gol, o Atlético voltou a demonstrar mais interesse na partida e buscou se lançar ao ataque. Mas acabou sendo vazado novamente em um jogada pela direita, aos 30 minutos. Dessa vez, Ângelo cruzou para Genesis, que escorou de cabeça para Ademir, na pequena área, completar para as redes.

O Atlético tentou reagir imediatamente e viu Ricardo Oliveira desperdiçar ótima oportunidade em cabeceio após cruzamento de Samuel Xavier. O Patrocinense ainda ficou com um jogador a menos após a expulsão de Rodolfo Mol. Oswaldo promoveu três alterações de uma vez, Otero deu muito trabalho a Neguete em uma cobrança de falta e Marco Túlio assustou o Patrocinense no último lance do jogo. Mas não foi suficiente para evitar o tropeço atleticano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.