Atlético conquista título paranaense

Com um gol de Lima, ex-Coritiba, na cobrança de pênaltis, o Atlético-PR venceu o Coritiba neste domingo, no estádio Joaquim Américo, em Curitiba, por 1 a 0 no tempo normal e 4 a 2 nos pênaltis e impediu o tricampeonato do seu maior rival. Esse foi o 20º título estadual conquistado pelo clube. Denis Marques abriu o placar aos 19 minutos da segunda etapa e nas cobranças de pênalti, Alan Bahia, Fabrício, Maciel e Lima marcaram para o Rubro-Negro, e Rafinha e Negreiros para o Alviverde. Capixaba e Nascimento desperdiçaram suas cobranças. Com a necessidade de vencer para tirar a vantagem do Coritiba, que ganhara a primeira partida por 1 a 0, o técnico Edinho armou sua equipe de forma mais ofensiva. Os atletas também queriam evitar a repetição do ano passado, quando o Coritiba foi campeão dentro da Arena. Aos 11 minutos, Denis Marques chutou para fora com o gol vazio. O Rubro-Negro continuou pressionando e, aos seis minutos do segundo tempo, Denis Marques chutou rasteiro, mas a bola bateu nas duas traves e foi para fora. Aos 19, Maciel cruzou para a área, Lima ajeitou de cabeça para Denis Marques, que se livrou do zagueiro Flávio e chutou sem chance para Fernando. Depois do gol, ambas as equipes diminuíram o ritmo e não criaram mais chances reais de gol. Na prorrogação, Diego ainda salvou um chute difícil de Nunes e impediu o gol Alviverde. Na cobrança de pênaltis, Capixaba e Reginaldo Nascimento perderam suas cobranças e apenas Negreiros e Rafinha marcaram para o Coritiba. Alan Bahia, Fabrício, Maciel e Lima não desperdiçaram suas cobranças e decretaram o título. Para o técnico Edinho, que assumiu o comando nesta semana e implantou o 4-4-2 para esta partida, o título deve ser dividido com todo o elenco. "Eu fui bem recebido por todos e eu não podia segurar a equipe jogando dentro de casa, com a torcida empurrando o tempo inteiro. Esse título foi merecido porque superamos todas as dificuldades encontradas durante a semana", afirmou. O atacante Lima, que defendeu o Coritiba no ano passado e marcou o gol do título, também dividiu os méritos. "Foi um títuo que não teve heróis, todos nós participamos dessa conquista".

Agencia Estado,

17 de abril de 2005 | 20h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.