Atlético de Madrid festeja o centenário

O Atlético de Madrid festeja neste sábado, com luxo e orgulho, seu primeiro centenário. A terceira equipe mais importante da Espanha - só perde em conquistas para os rivais Real Madrid e Barcelona - vai a campo para enfrentar o Osasuna, pela 31ª rodada, em busca do prestígio perdido. Depois de perambular dois anos na Série B, espera no mínimo terminar a temporada entre os primeiros colocados e voltar à Copa da Uefa. Com 41 pontos, o time de coração de Felipe de Bourbon, o Príncipe das Astúrias, é o 9º colocado no torneio.O Atlético de Madrid foi fundado em 26 de abril de 1903 como uma facção da torcida do Athletic Bilbao. Com o tempo, ganhou personalidade, torcida e dirigentes próprios e logo firmou a rivalidade interminável com o Real Madrid. O Atlético viveu períodos conturbados - como o rebaixamento em 99 -, mas tem currículo respeitável.Até hoje, foram nove títulos espanhóis, nova Copas do Rei da Espanha, uma Supercopa espanhola, uma Recopa européia. Tem também um Mundial Interclubes, conquistado em 1975 contra o argentino Independiente. O campeão europeu era o Bayern, que se recusou a jogar contra os argentinos, como protesto pela ditadura do general Jorge Videla. O Atlético, como vice, aceitou o desafio de ser substituto.O clube sofreu com administrações desastradas e até hoje convive com as ousadias, erros e destemperos de Jesus Gil y Gil.O cosmopolitismo do Atlético se manifestou, ao longo do século, nas contratações de estrelas internacionais. Muitos brasileiros vestiram a camisa do clube: Vavá, Luiz Pereira, Leivinha, Baltazar, Juninho Paulista, Alemão entre outros. Alguns deles participam neste sábado da preliminar do duelo com o Osasuna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.