Rubens Chiri/São Paulo
Rubens Chiri/São Paulo

Atlético-GO acerta empréstimo do goleiro Jean, afastado pelo São Paulo

Presidente do clube goiano, Adson Batista diz que dará respaldo ao jogador que foi preso nos Estados Unidos acusado de agredir a mulher, Milena Bemfica

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de janeiro de 2020 | 16h22

O Atlético-GO acertou o empréstimo do goleiro Jean, que teve contrato suspenso pelo São Paulo após ter sido preso nos Estados Unidos acusado de agredir a mulher, Milena Bemfica. O vínculo é válido até o fim desta temporada, que marca a volta do time à Série A do Campeonato Brasileiro. O clube goiano arcará com os salários e terá direito a 20% de uma possível futura venda do goleiro de 24 anos.

O presidente do Atlético-GO, Adson Batista, concedeu entrevista coletiva nesta segunda-feira para falar sobre o acerto com Jean. A contratação recebeu diversas críticas negativas de torcedores nas redes sociais. O dirigente, por sua vez, disse que o clube vai dar respaldo ao goleiro.

"As pessoas têm que aguardar a Justiça. A Justiça tem que fazer o papel dela e as pessoas precisam parar de julgar. Eu vi um jogador de alto nível que precisa recuperar a carreira. O Atlético-GO entende que esse atleta vai nos ajudar muito. Se ele cometer um equívoco, não tem condição de ficar no Atlético-GO. É página virada. O Atlético-GO tem o perfil de recuperar atletas, e o ser humano precisa de oportunidades. Ele cometeu um erro, e nós contratamos um grande profissional e vamos dar respaldo", afirmou Adson Batista.

Durante a entrevista, Adson Batista ainda disse ser amigo do empresário do goleiro, Paulo Pitombeira, e que conversou com Jean antes de fechar a negociação. Segundo o presidente, o jogador demonstrou interesse em atuar pelo Atlético-GO e o convenceu de que vai ser importante para o clube nesta temporada.

"Todo ser humano merece oportunidades na vida. Todos têm problemas, e o Atlético-Go vai dar respaldo. Tive uma conversa com ele, e tenho certeza de que vai nos ajudar muito. O Atlético-GO é um clube familiar. Vamos recuperar o ser humano, um bom profissional, e evidentemente ele sabe que não pode errar mais, cometer esses equívocos. Confio no atleta, e vamos dar toda condição para ele fazer um grande trabalho. Ele quis vir para o Atlético-GO, e não poderíamos perder essa oportunidade. Peço apoio de todos os torcedores. Quem pode atirar a primeira pedra? Todo mundo tem problemas, o Jean teve um muito sério, mas tenho certeza de que ele vai dar a volta por cima", declarou.

Jean foi preso no fim do ano passado nos Estados Unidos e deixou a cadeira depois de um dia, sem precisar pagar fiança. No boletim de ocorrência, Milena Bemfica disse ter sido agredida com oito socos. Ela divulgou vídeo em seu Instagram com o rosto inchado e com hematomas.  

Após o caso, a ideia do São Paulo era rescindir o contrato. No entanto, o departamento jurídico não achou brecha para demitir o jogador por justa causa. Em caso de rescisão unilateral, o São Paulo teria de pagar todos os salários válidos até o fim de 2022, quando encerra o vínculo. 

O São Paulo, então, decidiu suspender o contrato até o fim desta temporada e aguardava Jean ser procurado por outros clubes. O Ceará demonstrou interesse no goleiro, mas recuou após a repercussão negativa entre os torcedores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.