Atlético-GO derruba ex-invicto Corinthians: 3 a 1

Derrota para o lanterna no Serra Dourada ameaça liderança da equipe de Mano Menezes

TERCIO DAVID - estadão.com.br

21 de julho de 2010 | 23h45

Mano acompanha a derrota do Corinthians no Serra Dourada para o lanterna Atlético-GO

SÃO PAULO - Fim da invencibilidade e com a liderança ameaçada. Em um jogo bastante equilibrado, o Corinthians perdeu para o ainda lanterna Atlético-GO por 3 a 1, nesta quarta-feira, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro.

Veja também:

BRASILEIRÃO – tabela Classificação |listaCalendário / Resultados

BRASILEIRÃO 2010 – lista Mais notícias

Com o resultado, o Corinthians segue com 21 pontos e pode perder a liderança do campeonato para o Fluminense, que recebe o Cruzeiro nesta quinta, ou até mesmo para o Ceará, que visita o Guarani, também na quinta. Já o Atlético-GO, vai a sete pontos - duas vitória e um empate - e termina a rodada mais próximo do 16.º colocado, o primeiro salvo do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Corinthians encara o Guarani, no Pacaembu, no domingo, às 18h30. Na véspera, também às 18h30, o Atlético-GO visita o Vasco, em São Januário, no Rio.

NÃO SEI DE NADA. Perguntado antes do jogo sobre a possibilidade de assumir a seleção brasileira, o técnico Mano Menezes desconversou, mas não convenceu. "Estou no Corinthians e só falo de Corinthians", disse.

Roberto Carlos revelou que até tentou "furar todo mundo", mas não teve sucesso. "Até tentei descobrir algo, perguntei para ele antes do jogo, no hotel, mas ele não contou", brincou o lateral-esquerdo, que depois foi mais sério. "Se ele for, é por que fez algo de bom. Estou trabalhando com ele desde o ano passado e digo que o trabalho dele é muito bom. Se for mesmo, merece."

POLÊMICA. O Corinthians começou dominando o jogo, tanto no gramado quanto fora, contando com grande apoio de sua torcida em Goiânia. No gramado, Bruno César foi a principal alternativa de ataque, sobre tudo nos chutes de longe.

Jogando no contra-ataque, o Atlético saiu na frente aos 21 graças a um equivoco da arbitragem. Tiuí recebeu impedido na frente, invadiu a área e foi derrubado pelo goleiro Júlio César. Gutemberg de Paula Fonseca marcou o pênalti, que Robston bateu bem e confirmou o gol.

Ligeiramente melhor em campo, o Corinthians não demorou para empatar, numa jogada que começou exatamente com Bruno César. Aos 33, o camisa 11 levantou na área, Danilo ajeitou de cabeça e Iarley bateu de primeira.

 ATLÉTICO-GO3
Márcio; Dida, Welton Felipe ca, Jairo (Daniel Marques) e Chiquinho  ; Agenor, Pituca  , Robston  , William  e Rodrigo Tiuí ca (Agenor); Marcão ca (Juninho) e Pedro Paulo
Técnico: Roberto Fernandes
 CORINTHIANS1
Júlio César  ; Alessandro, Chicão  , Paulo André e Roberto Carlos (Defederico); Ralf, Elias, Danilo (Tcheco) e Bruno César; Iarley e Dentinho (Souza  )
Técnico: Mano Menezes
Gols: Robston, aos 21, e Iarley, aos 33 minutos do primeiro tempo. Pedro Paulo, aos 24, e Marcão, aos 34 minutos do segundo tempo

Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (RJ)

Renda: não disponível

Público: não disponível

Estádio: Serra Dourada, em Goiânia (GO)

O Corinthians até poderia terminar o primeiro tempo vencendo, não fosse a ótima atuação de Márcio. Já nos minutos finais, Bruno César fez ótimo passe para Iarley, que recebeu na área e bateu cruzado para grade defesa do goleiro.

No segundo tempo, o jogo continuou equilibrado e qualquer detalhe poderia definir o vencedor. E foi assim que o Atlético chegou ao segundo gol, aos 23. Danilo tentou o passe no meio de campo, mas acabou acertando o árbitro. A bola então sobrou para Robston, que lançou Pedro Paulo na esquerda. Ele então se livrou de Alessandro no bico da área e acertou um belo chute, no ângulo de Júlio César para fazer o segundo.

MAIS RECLAMAÇÃO. Se o Corinthians teve motivos para reclamar no primeiro gol do Atlético, o time goiano também teve foi prejudicado. Aos 31, Iarley trombou com Pituca na  área, caiu e Gutemberg de Paula Fonseca marcou o pênalti. Mas Márcio estava mesmo em uma grande noite e defendeu a cobrança de Chicão.

O golpe de misericórdia do Atlético veio aos 34, quando Pedro Paulo ganhou de Paulo André numa trombada entre os dois na área do Corinthians. A bola sobrou para Marcão bater firme e assegurar a segunda vitória para o time goiano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.