Atlético-GO empata com a Chapecoense no final, mas está matematicamente rebaixado

Equipe goianiense não tem mais chance de escapar da Série B após empate por 1 a 1 com catarinenses

Estadão Conteúdo

19 Novembro 2017 | 19h50

Agora não há mais com o que se iludir ou sonhar: o Atlético Goianiense está rebaixado, de forma matemática, para a Série B em 2018, onde no ano passado sagrou-se campeão. Era já um fato esperado para um time que passou 35 rodadas dentro da zona do rebaixamento, com exceção da sétima rodada. Tudo foi sacramentado com o empate com a Chapecoense por 1 a 1, neste domingo, no estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro.

+ TEMPO REAL - Atlético-GO 1 x 1 Chapecoense

Na lanterna com apenas 34 pontos, só vai cumprir tabela nas últimas duas rodadas. Isso porque na próxima rodada vão se enfrentar, em Campinas (SP), Ponte Preta (39) e Vitória (40). A certeza é de que no próximo ano vai ter pela frente na Série B seus dois maiores rivais goianos: Goiás e Vila Nova. A Chapecoense manteve a sua boa fase e chegou aos 48 pontos, em posição intermediária.

Agora há oito jogos sem perder e já livre da ameaça do rebaixamento, a Chapecoense adotou uma estratégia inteligente. Esperou na defesa para sentir a força do adversário para depois ir ao ataque. Tanto que o Atlético Goianiense, precisando da vitória para não cair matematicamente, foi ao ataque. Mas faltou eficiência nas finalizações.

A primeira chance foi com o zagueiro William Alves, aos 17 minutos, quando ele apareceu na pequena área e dividiu com o goleiro Andrei, mas não conseguiu finalizar. A outra oportunidade foi com Diego Rosa, que invadiu a área pelo lado esquerdo, porém ficou sem ângulo. Preferiu cruzar rasteiro, mas ninguém apareceu para empurrar a bola para as redes.

Mas quando atacou o time catarinense foi mortal. Aos 35 minutos marcou seu gol, após escanteio em curva cobrado por Reinaldo e com o desvio de cabeça de Túlio de Melo. Dois minutos depois, o time atleticano voltou a errar na finalização. Após cruzamento da direita, Diego Rosa desvio com o pé direito, mas para fora.

O segundo tempo não mudou. A Chapecoense logo teve duas chances. Uma com Apodi, pela direita, e outra pela esquerda com João Pedro. Em ambas o goleiro Klever espalmou. Na frente, Diego Rosa errou mais duas vezes para fora. Aos 28 minutos surgiu a melhor chance do time da casa com um peixinho de Andrigo, que Jandrei saltou para espalmar a escanteio.

Enquanto o Atlético Goianiense fazia alterações ofensivas, o técnico Gilson Kleina reforçava a marcação, colocando volantes descansados como Lucas Marques e Lucas Mineiro. O time goiano não criava e quase o mais incrível aconteceu aos 39 minutos. Dentro da área, na indefinição entre Amaral e Fabrício, este último tentou colocar a bola para escanteio, mas chutou forte na trave direita de Jandrei. Seria um gol contra.

Depois do susto, nada mais deveria acontecer. Mas o Atlético Goianiense empatou. Após passe de Jeferson Nem, já dentro da área, Luiz Fernando bateu rasteiro e de virada, deixando tudo igual. Isso aos 45 minutos.

Agora o Atlético Goianiense só cumpre tabela nas últimas duas rodadas. No próximo domingo pega o Grêmio, em Porto Alegre, e depois recebe em Goiânia o Fluminense. A Chapecoense, atrás de pontos, vai sair diante do Bahia e fecha a temporada contra o Coritiba, na Arena Condá, em Chapecó (SC).

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-GO 1 x 1 CHAPECOENSE

ATLÉTICO-GO - Klever; Jonathan (Marcão Silva), William Alves, Gilvan e Breno Lopes; André Castro, Igor (Jeferson Nem), Andrigo, Jorginho e Luiz Fernando; Diego Rosa (Alyson). Técnico: João Paulo Sanches.

CHAPECOENSE - Jandrei; Apodi, Douglas, Fabrício Bruno e Reinaldo; Amaral, Moisés Ribeiro, Luiz Antonio (Lucas Marques) e João Pedro (Lucas Mineiro); Arthur Caíke e Túlio de Melo (Rodrigo Pelezinho). Técnico: Gilson Kleina.

GOLS - Túlio de Melo, aos 35 minutos do primeiro tempo; Luiz Fernando, aos 45 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Jonathan, Jorginho, Willian Alves e Marcão Silva (Atlético-GO); Túlio de Melo e Lucas Mineiro (Chapecoense).

ÁRBITRO - Dewson Fernando Freitas (Fifa/PA).

RENDA - R$ 14.835,00.

PÚBLICO - 1.243 pagantes (2.280 no total).

LOCAL - Estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia (GO).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.