André Costa/AE
André Costa/AE

Atlético-GO vence reservas do Palmeiras e respira

Com a vitória por 3 a 0 no Serra Dourada, time goiano se distancia da zona do rebaixamento

TERCIO DAVID - estadão.com.br

14 de novembro de 2010 | 18h55

SÃO PAULO - Com a cabeça totalmente voltada na Copa Sul-Americana os reservas do Palmeiras não foram páreos para o Atlético Goianiense, que venceu por 3 a 0 o jogo desde domingo, no Serra Dourada, em Goiânia, pela 36.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Curiosamente, o placar foi o mesmo do jogo do primeiro turno, no Pacaembu.

Veja também:

BRASILEIRÃO - tabela Classificação | lista Resultados

especial SIMULADOR DO BRASILEIRÃO

Para o Atlético, a vitória foi importantíssima, afinal, o time chegou a 40 pontos, empatado com o Flamengo, e abriu três para o Avaí, o melhor classificado entre as equipes da zona do rebaixamento.

Com a derrota, o Palmeiras segue com 50 pontos, já seis atrás do Botafogo, o quarto colocado e último eventualmente classificado para a Libertadores.

Na próxima rodada, o Palmeiras encara outro Atlético, o Mineiro, na Fonte Nova, em Araraquara, no domingo, às 17 horas. No mesmo dia, mas às 19h30, o Atlético-GO visita o Avaí, na Ressacada.

Antes, na quarta-feira, às 21h50, o Palmeiras encara o Goiás, no mesmo Serra Dourada, pelas semifinais da Copa Sul-Americana.

Bruno. Jogando em casa e precisando da vitória, o Atlético começou com pressão total e só não marcou mais gols no primeiro tempo graças a boa atuação do goleiro do Palmeiras, que fez pelo menos duas grandes defesas.

Com um time repleto de reservas, como aconteceu nas últimas rodadas, o Palmeiras mostrou boa vontade, apesar do desentrosamento, como ficou evidente no lance do gol do Atlético.

Aos 31, após cobrança de escanteio, toda a zaga palmeirense ficou parada, vendo Agenor cabecear firme para acertar a trave. No rebote, ainda com a marcação paralisada, Gilson completou para o gol, também de cabeça.

O gol deu mais tranquilidade ao Atlético, que manteve a organização tática e a boa marcação sobre Luis Felipe e Patrik, os responsáveis pela armação do Palmeiras.

Volante artilheiro. No segundo tempo, o Atlético resolveu definir de vez o resultado, graças a Robston. Aos 10, o volante recebeu na entrada da área, ajeitou e mandou de bico, no canto de Bruno.

Nove minutos mais tarde, Marcão roubou a bola na direita, avançou em velocidade e cruzou na medida para o mesmo Robston bater de primeira, com estilo, e novamente acertar o canto de Bruno.

Com um a menos desde os 15 do segundo tempo, após uma expulsão tola de Danilo - cometeu duas faltas desnecessárias no meio de campo - o Palmeiras resolveu ir para cima do Atlético, pelo menos para diminuir o prejuízo.

Apesar da aplicação, no entanto, o Palmeiras praticamente não conseguiu ameaçar o gol de Marcio - apenas uma vez o time alviverde assustou, no chute cruzado de Dinei, que passou rente ao poste.

Satisfeito, o Atlético tratou apenas de administrar o placar e garantir a vitória que deu novo fôlego ao time para brigar contra o rebaixamento.

  ATLÉTICO-GO - 3 - Márcio, Adriano, Gilson  , Jairo, Thiago Feltri, Pituca, Robston  , Renatinho (Elias), Agenor, Juninho (Anaílson) e Josiel (Marcão). Técnico: Renê Simões.

  PALMEIRAS - 0 - Bruno, Leandro Amaro, Fabrício, Danilo  , Vitor, Márcio Araújo (Jean), Pierre, Patrik, Luis Felipe, Ewerthon (Tadeu) e Dinei (Bruno Turco). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Gols - Gilson, aos 31 minutos do primeiro tempo; Robston, aos 10 e aos 19 minutos do segundo tempo; Árbitro - Wilton Pereira Sampaio (Aspirante Fifa/DF); Renda e público - não disponíveis; Local - Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.