Atlético-GO vira e vence 'amistoso' contra o Santos

Bastou ao Atlético-GO se empenhar nos últimos 15 minutos da partida para vencer o Santos, por 2 a 1, neste sábado à noite, no Estádio Bezerrão, em Gama (DF). O jogo foi quase todo sonolento e só melhorou no finalzinho, quando o time goiano, que optou por mandar a partida no Distrito Federal para obter melhor renda, foi atrás da virada.

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

10 de novembro de 2012 | 21h33

Bruno Rodrigo marcou na única chance de gol do primeiro tempo, já nos acréscimos. A virada goiana veio primeiro com Diogo Campo, aos 39, e pouco depois com o goleiro Márcio, de pênalti, aos 43 da segunda etapa. Neymar, motivo do jogo ser no Distrito Federal, decepcionou os fãs, produziu pouco, e não encostou na artilharia.

Ainda lanterna e já rebaixado, o Atlético-GO foi a 26 pontos depois da sua sexta vitória no Brasileirão. Já o Santos segue com 46, no nono lugar. Na próxima rodada, a equipe santista recebe o Figueirense. Depois, faz dois clássicos, contra Corinthians e Palmeiras.

O JOGO - A partida já começou valendo nada. Prova disso é que assim que o Atlético-GO trocou os primeiros passes a torcida começou a cantarolar "olé". Era a prova que o jogo era um divertido espetáculo amistoso para os torcedores, a grande maioria santistas, que foram ao Bezerrão.

A opção de Muricy Ramalho de escalar o time com três volantes matou a criatividade do meio-campo. E como do rebaixado Atlético-GO não dava para se esperar muito, o jogo foi fraco de futebol no primeiro tempo.

Neymar não estava muito disposto e praticamente só aparecia nas bolas paradas, agora sob responsabilidade dele no Santos. Quando o craque resolveu jogar, a única chance de gol foi para dentro da rede. Aos 45 minutos, o atacante cruzou da esquerda, André escorou e Bruno Rodrigo, sem marcação, abriu o placar.

Devendo futebol à torcida candanga, Neymar voltou mais animado à segunda etapa. Mas só o talento do craque não foi suficiente para fazer a partida valer o ingresso. Chances de gol foram poucas. Aos 15, ele arriscou de longe e Márcio espalmou. Depois, aos 24, armou jogada pelo meio e tocou para Felipe Anderson. O meia, porém, chutou para longe.

Na metade final do segundo tempo o Atlético-GO se empenhou e foi recompensado com os gols. A primeira tentativa, aos 36, com Ernanes, parou na trave. Depois, aos 39, veio o empate. Marino cruzou rasteiro e Diogo Campos, livre, escorou para o as redes.

O gol da virada saiu com o goleiro Márcio. Ernanes recebeu na área, driblou Rafael e foi derrubado. Márcio atravessou o canto, bateu o pênalti e fez o quarto dele no Brasileirão.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-GO 2 X 1 SANTOS

ATLÉTICO-GO - Márcio; Adriano, Gustavo, Diego Giaretta e Eron; Pituca (Marino), Dodó, Ernanes e Rayllan; Diogo Campos e Ricardo Bueno (Patric). Técnico - Jairo Araújo (interino).

SANTOS - Rafael; Rafael Galhardo (Bruno Peres), Bruno Rodrigo, Durval e Gerson Magrão; Adriano, Henrique, Arouca e Felipe Anderson; Neymar e André (Victor Andrade). Técnico - Muricy Ramalho.

GOL - Bruno Rodrigo, aos 45 minutos do primeiro tempo. Diogo Campo, aos 39, e Márcio (de pênalti), aos 43 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Ronan Marques da Rosa (SC).

CARTÕES AMARELOS - Ernanes, Diego Giaretta, Gustavo, Neymar, Gerson Magrão e Adriano.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Bezerrão, no Gama (DF).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAtlético-GOSantosBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.