Bruno Cantini/Atlético/Divulgação
Bruno Cantini/Atlético/Divulgação

Atlético goleia o Boa por 5 a 0 e avança para a sua 13ª final seguida do Mineiro

A semifinal foi marcada pelo demorado uso da arbitragem de vídeo

Redação, Estadao Conteudo

07 de abril de 2019 | 18h34

Em jogo no qual a arbitragem de vídeo (VAR) roubou a cena, o Atlético-MG carimbou a vaga na final do Campeonato Mineiro pelo 13º ano seguido. Na tarde deste domingo, a equipe comandada por Levir Culpi goleou o Boa por 5 a 0, no Mineirão, em Belo Horizonte, e selou a classificação.

O adversário atleticano na final será o Cruzeiro. Como teve melhor campanha que o rival, o time de Levir Culpi joga por dois empates para se sagrar campeão.

No primeiro jogo, disputado em Varginha, as equipes empataram por 0 a 0. Como teve melhor campanha na primeira fase, o Atlético jogava por outro empate, mas não quis saber da vantagem e dominou completamente o duelo, abrindo vantagem no primeiro tempo.

A curiosidade da partida foi o VAR ter entrado em ação três vezes durante o jogo, uma delas anulando um gol marcado por Luan, aos 18 minutos. Entre as análises feitas pelos árbitros de vídeo, o jogo ficou parado pouco mais de dez minutos.

Já na última sexta-feira, Levir Culpi havia confirmado que escalaria força máxima em campo neste domingo, mesmo com o seu time tendo compromisso decisivo na Libertadores no meio de semana. Porém, ele trouxe como novidade a escalação de Geuvânio entre os titulares. A opção deu resultado.

Com menos de dez minutos, os atleticanos levaram perigo duas vezes ao gol de Renan Rocha em cabeçadas de Réver e Ricardo Oliveira. Depois, quem apareceu com estaque foi o VAR. Aos 18 minutos, em nova jogada pelo alto, a bola passou por todo mundo e sobrou para Luan completar no segundo pau. A arbitragem de vídeo, no entanto, foi acionada e o juiz Anderson Daronco invalidou o lance por uma falta no início da jogada. Foi o terceiro gol anulado do Atlético-MG pelo VAR.

Menos de um minuto depois, novo levantamento e novo gol do Atlético-MG. Em bola alçada por Cazares, Luan pegou a sobra para marcar. Novamente, a arbitragem foi ver o lance no vídeo. Depois de quatro minutos, Daronco validou o gol.

O Atlético-MG não quis saber das paralisações e foi para cima. Aos 40 minutos, após contra-ataque, Cazares acionou Elias, que tabelou com Ricardo Oliveira e rolou para o gol vazio. Ainda no primeiro tempo, aos 48, Cazares cobrou escanteio fechado e Victor, contra a própria meta, colocou dentro do gol.

Geuvânio, o estreante da tarde, transformou a vitória em goleada no começo do segundo tempo. O atacante acabou recebendo um presente da defesa do Boa. Em bola recuada, Fernando Fonseca escorregou na frente do camisa 11, que ficou com a bola, invadiu a área e finalizou com precisão.

No decorrer do segundo tempo, Levir deu oportunidades para alguns reservas como Vinicius e Chará. A dupla fez linda tabela no quinto gol, marcado por Vinícius, aos 29 minutos. Novamente, o VAR foi acionado após a arbitragem marcar impedimento, mas, desta vez, confirmou o gol. Festa da torcida atleticana.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.