Atlético-MG: Agente só fala na justiça

Depois de provocar polêmica sobre a existência de prática de "mala preta" no futebol brasileiro, o empresário Roberto Tibúrcio disse que só irá apresentar as provas que alega possuir caso seja obrigado pela Justiça. Tibúrcio denunciou o pagamento de "incentivos financeiros" por parte do Atlético-MG para atletas de outros clubes nas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro do ano passado.Nesta sexta, o advogado Fábio Cruz afirmou que o empresário acolheu sua orientação e decidiu não mais tocar no assunto. Como é pouco provável que o Departamento Jurídico do Atlético entre com um processo contra o empresário, a denúncia corre o risco de cair no vazio."Isso pode gerar conseqüências muito desastrosas", observou o advogado, que diz ser apenas "amigo" de Tibúrcio. "Chega numa situação dessas, que todo mundo quer jogar gasolina no fogo, você às vezes gera conseqüências que não tem força para resolver depois. Então, o melhor é pensar, esperar e ver se isso aí é o melhor."A diretoria do Atlético-MG mantém o discurso de que vai primeiro analisar as declarações que Tibúrcio concedeu à Rádio Itatiaia e só depois tomará uma posição. O presidente Ricardo Guimarães manteve silêncio em relação ao caso. A assessoria de imprensa do clube reafirmou que o Atlético desconhece a situação relatada pelo empresário e, se houve pagamento, o dinheiro não saiu dos cofres do clube.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.