Atlético-MG ainda sonha com a Libertadores

O Atlético Mineiro manteve as chances de conquistar uma vaga na Taça Libertadores da América depois de vencer o Vitória, por 1 a 0, neste sábado, em Salvador. O gol de Quirino, aos 44 minutos do segundo tempo, não permitiu reação ao time bicampeão baiano. O resultado foi ainda mais valorizado pelo Atlético porque o time mineiro jogou com um a menos desde a expulsão de Genalvo, aos 19 minutos da primeira etapa. A torcida baiana voltou a protestar com a ausência do Estádio Barradão. Os rubro-negros estão inconformados com a falta de planejamento da diretoria, que vendeu o principal jogador do time, o artilheiro Nadson, no meio da competição. Com a vantagem de um jogador a mais, o Vitória dominou o primeiro tempo e teve as melhores chances. Tiago Matos, em um chute de longe, aos 21 minutos, Ramalho, em uma bola cruzada aos 31, e Alecsandro, tocando na saída de Veloso, levaram muito perigo ao gol do Atlético. No time mineiro, Fábio Júnior exigiu toda a atenção do goleiro Juninho em dois ataques fulminantes, mas além destas jogadas individuais do atacante, o Atlético não mostrou poder ofensivo suficiente para tentar o gol. No segundo tempo, o jogo ficou mais equilibrado e os times tiveram chances iguais. No Vitória, Vinicius deu mais trabalho a Veloso enquanto o atacante Tucho esteve perto de marcar duas vezes. Enílton, ex-jogador do Atlético, perdeu um gol certo, ao cabecear por cima do travessão, depois de um cruzamento da direita. No último minuto, o goleiro Juninho, que havia feito algumas boas defesas, foi surpreendido por Quirino, substituto de Enrico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.