Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Atlético-MG aposta em Guilherme para manter liderança do Brasileirão

Meia substitui o lesionado artilheiro Lucas Pratto na visita ao Goiás

Estadão Conteúdo

08 de agosto de 2015 | 17h09

O Atlético-MG defende a liderança do Brasileirão contra o Goiás, neste domingo, a partir das 16h, no Serra Dourada, na 17ª rodada do Brasileirão. Líder há seis rodadas, a equipe de Levir Culpi contará com Guilherme no lugar do artilheiro argentino Lucas Pratto, poupado em razão de um edema na coxa direita.

Para o técnico, a mudança no ataque do time, que é o melhor do Brasileirão, com 32 gols, pode ser benéfica para a equipe manter a ponta na competição.

"Os dois não têm características parecidas. Ambos são muito eficientes, mas dentro do estilo deles. O Pratto tem ótimo tempo de bola em bolas cruzadas, nas finalizações. Já o Guilherme também tem uma qualidade técnica acima da média para finalizar e também não fica muito preso aos zagueiros. O Pratto utiliza mais o corpo. São algumas diferenças entre os dois", analisa o treinador.

Levir espera que a equipe consiga mais uma grande atuação, desta vez na capital goiana, para confirmar a boa fase demonstrada até agora.

"Essa é a nossa expectativa, mas ninguém sabe o que vai acontecer. O importante é que o time esteja firme, não pode perder o rumo, o ritmo", ressaltou o treinador. "Os jogadores estão ligados, bem motivados, não temos muitas modificações, possivelmente uma ou duas ausências, mas a base do time vai jogar e isso é sinal de um bom jogo", reforçou o comandante.

O treinador também salientou a necessidade de ter equilíbrio em relação aos elogios, para que o foco não seja desviado do objetivo principal.

"No meio dos elogios existem os interessados em que o Atlético-MG se dê mal, a verdade é essa. Aí você pega e coloca o Atlético já como campeão brasileiro, sabendo que é uma situação que fica difícil de administrar", alertou o treinador. "Quando tem dois ou três resultados negativos, a coisa se inverte radicalmente às vezes, mas cabe a nós controlar isso. Não podemos controlar todas as notícias, mas podemos controlar nosso grupo", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.