Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Atlético-MG bate a Ponte Preta e fica a 8 pontos do Corinthians

Mineiros fazem 2 a 1 em casa e agora apostam no duelo com o líder

Estadão Conteúdo

25 de outubro de 2015 | 22h01

O Atlético-MG encerrou uma invencibilidade de sete jogos da Ponte Preta e segue com esperanças na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. Sem grandes sustos, o time mineiro controlou o jogo e venceu o clube de Campinas por 2 a 1, na noite deste domingo, na Arena Independência, em Belo Horizonte, no encerramento da 32.ª rodada.

Apesar de ganhar fôlego extra na disputa do título, o Atlético segue oito pontos atrás do líder Corinthians, que bateu o Flamengo, por 1 a 0, em Itaquera. Faltando seis rodadas para o final, o time mineiro tem 62 pontos, contra 70 dos corintianos. Por outro lado, a Ponte, que vinha de seis vitórias e um empate, estaciona nos 47 pontos, na nona posição, e vê sonho de se classificar à Libertadores mais distante.

No próximo domingo, às 17 horas, o Atlético-MG faz o confronto direto contra o Corinthians, na mesma Arena Independência, em Belo Horizonte. Enquanto isso, a Ponte Preta encara o Joinville, no sábado, às 19h30, no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas.

BOA MARCAÇÃO

Diante de uma Ponte Preta bem postada na defesa, o Atlético demorou a se encontrar em campo. Quando conseguiu pressionar a partir dos 20 minutos, se deparou com uma noite inspirada do goleiro Marcelo Lomba, que fez, pelo menos, quatro grandes defesas. Na melhor delas, aos 24, o camisa 1 do time paulista defendeu desvio à queima-roupa do atacante Pratto.

Depois de pressionar em todo o primeiro tempo sem sucesso, o clube mineiro precisou de apenas seis minutos para chegar ao gol na segunda etapa. E com ajuda adversária. Biro Biro saiu jogando errado e perdeu bola para Luan. O atacante tocou para o meia Dátolo, que chutou para grande defesa de Marcelo Lomba. No rebote, o próprio Luan, quase sem ângulo, mandou para o gol.

A Ponte acusou o golpe e o Atlético fez uma "blitz" para tentar matar o jogo. E o segundo gol saiu logo aos 11 minutos, em mais uma desatenção da defesa campineira. O atacante Borges deu passe errado e o lateral Douglas Santos levantou da esquerda. Sem marcação, Giovanni Augusto completou de cabeça.

Após o segundo gol, os donos da casa diminuíram o ritmo e correram o risco de sofrer o empate. Aos 46 minutos, Biro Biro cobrou falta na área e o zagueiro Renato Chaves desviou de cabeça de leve para as redes. No lance seguinte, o atacante Cesinha saiu na cara do gol, mas demorou a finalizar e foi desarmado pelo goleiro Victor. Para completar, ele tinha um companheiro livre do seu lado, que ficaria com o gol vazio à frente se recebesse o passe, mas foi fominha no lance. Poderia ser o empate. Não foi.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 2 X 1 PONTE PRETA

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Leandro Donizete, Rafael Carioca, Giovanni Augusto (Cárdenas) e Dátolo (Patric); Luan (Dodô) e Lucas Pratto. Técnico - Levir Culpi.

PONTE PRETA - Marcelo Lomba; Rodinei, Renato Chaves, Ferron e Gilson; Fernando Bob, Élton e Cristian (Clayson); Alexandro, Borges (Cesinha) e Biro-Biro. Técnico - Felipe Moreira.

GOLS - Luan, aos seis, Giovanni Augusto, aos 11, e Renato Chaves, aos 46 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Sandro Meira Ricci (SC).

CARTÕES AMARELOS - Marcos Rocha e Jemerson (Atlético); Gilson (Ponte Preta).

RENDA - R$ 347.325,00.

PÚBLICO - 13.232 pagantes.

LOCAL - Arena Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.