Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Atlético-MG bate Flamengo em confronto de desfalcados

Com um golaço, Lucas Cândido garante a vitória para o time mineiro

MARCELO PORTELA, Agência Estado

20 de outubro de 2013 | 18h12

BELO HORIZONTE - Mesmo com o time totalmente remendado, o Atlético-MG manteve a hegemonia no Estádio Independência, em Belo Horizonte, ao derrotar o Flamengo por 1 a 0, neste domingo, em um jogo com raros lances de inspiração de ambos os lados. Os históricos rivais protagonizaram uma partida de baixa qualidade e o time mineiro só se deu bem graças a um lindo chute de Lucas Cândido, que não deu nenhuma chance para o goleiro Felipe. A vitória em casa, onde costuma ter sucesso diante de quase todos os adversários, deixou o Atlético-MG com 45 pontos, no pelotão de frente do Brasileirão. O Flamengo, por sua vez, termina a 30ª rodada com 40 pontos, no bloco intermediário.

Apesar das campanhas irregulares dos dois times, que começaram a se recuperar nas últimas rodadas, Atlético-MG e Flamengo chegaram para a partida parecendo não dar muito valor ao confronto. Com 14 desfalques por causa de lesões e suspensões, participação garantida na Libertadores de 2014 por ser o atual campeão e quase nenhuma chance de vencer o Brasileirão ou ser rebaixado, o Atlético-MG levou vários reservas a campo e colocou integrantes da base no banco.

Diante do adversário totalmente desfalcado, o técnico Jayme de Almeida escalou um time misto no Flamengo. Além da ausência de Chicão e André Santos, ambos suspensos, e de João Paulo, lesionado, ele optou por poupar peças importantes do elenco como Leonardo Moura, Paulinho e Elias visando ao duelo contra o Botafogo, na quarta-feira, pela Copa do Brasil.

Quem participou do confronto até tentou mostrar serviço. Assim, o jogo começou dando a impressão de que seria bem corrido. A predominância na etapa inicial foi dos donos da casa, que pressionaram os visitantes, mas sem conseguirem superar a defesa flamenguista. A equipe carioca ainda encaixou contra- ataques e também obrigou o goleiro Victor a trabalhar. Mas o resultado do primeiro tempo foi justo, pois nenhum dos times conseguiu criar chance real de marcar. Nos últimos minutos, inclusive, jogadores de ambos os lados estavam quase caminhando no gramado, tocando bola e esperando o árbitro Leandro Pedro Vuaden encerrar a etapa inicial.

As equipes voltaram para o segundo tempo mostrando disposição de mudar o cenário e o Flamengo parecia até mais disposto a superar os anfitriões, o que só não conseguiu por causa de boas defesas de Victor. Mas a pressão da torcida atleticana, que tentava o tempo todo empurrar o time, surtiu efeito. Aos 12 minutos, enquanto os torcedores ainda cobravam da equipe por causa de erros no ataque, Lucas Cândido emendou um belo chute de fora da área e a bola foi no ângulo à esquerda de Felipe, em jogada indefensável.

O Flamengo sentiu o golpe. Apesar de tentar devolver o gol, o futebol do time carioca visivelmente caiu. Passou a errar muito, teve bem mais dificuldade de criar oportunidades como as que teve nos minutos iniciais e, quando ia para o ataque, pecava nas finalizações. E mais uma vez o jogo perdeu qualidade, pois, contente com o placar, o Atlético-MG parou de atacar para administrar o resultado.

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 1 X 0 FLAMENGO

ATLÉTICO-MG - Victor; Carlos César (Alex), Jemerson (Dodô), Leonardo Silva e Emerson; Pierre, Rosinei e Lucas Cândido; Neto Berola (Leleu), Fernandinho e Jô. Técnico - Cuca.

FLAMENGO - Felipe; Digão, Gonzáles, Wallace e Frauches; Amaral, Val, Luiz Antônio (Bruninho), Gabriel (Rafinha) e Carlos Eduardo (Marcelo Moreno); Hernane. Técnico - Jayme de Almeida.

GOL - Lucas Cândido, aos 12 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

CARTÕES AMARELOS - Leonardo Silva, Neto Berola e Emerson (Atlético-MG); Val e Carlos Eduardo (Flamengo).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.