Atlético-MG busca um novo técnico

O técnico Levir Culpi deixou o comando do Atlético-MG na madrugada desta sexta-feira, uma hora depois da desastrosa estréia da equipe no Supercampeonato Mineiro, com derrota por 4 a 2 para a Caldense, no Mineirão. Levir, que estava com a situação complicada após as desclassificações do Alvinegro nas semifinais das Copas Sul-Minas, diante do Cruzeiro, e do Brasil - com dois resultados negativos contra o Brasiliense -, disse que ele tomou a iniciativa de pedir as contas, por entender que não tinha mais "capacidade para mobilizar o grupo". "A auto-estima dos jogadores atingiu um nível muito baixo e, depois de me reunir com a diretoria, cheguei à conclusão que estava na hora de encerrar um ciclo", explicou o treinador. Levir também criticou a entrada do Atlético no Super Mineiro, um torneio curto reunindo cinco equipes - o Alvinegro, o Cruzeiro, o América-MG, o Mamoré e a Caldense, campeã estadual deste ano - e com o título entregue a quem marcar mais pontos em apenas quatro jogos. "No meu entendimento, os jogadores deveriam ficar agora fora de competições, enquanto faríamos a preparação para começar uma nova temporada no segundo semestre", afirmou. Na verdade, a baixa motivação dos atletas, visível no confronto com a Caldense, também teve como causa as reduções de salários decretadas pelos dirigentes, que querem cortar à metade a folha de pagamentos do clube, de R$ 1,5 milhão. Os atacantes Marques e Guilherme e o meia Djair, apáticos em campo na quinta-feira, foram atingidos. Retorno - Com a saída de Levir, pelo menos um dos jogadores que deixaram o Atlético-MG, nos últimos meses, em razão de problemas de relacionamento com o técnico deve retornar. É o meia-ofensivo Alexandre, que não renovou com o Botafogo, para onde fora emprestado, e manifestou desejo de retornar a Belo Horizonte logo que soube da demissão do treinador. Outro que pode ser procurado pelos dirigentes é o meia Ramon, que, depois de brigar com Levir e ser afastado dos trabalhos no Centro de Treinamento, ganhou na Justiça direito de exercer livremente a profissão e assinou com o Vasco. Para substituir o ex-treinador e conduzir o Atlético no segundo semestre, segundo o presidente do Conselho Deliberativo do Atlético, Alexandre Kalil, vários nomes estão em estudo. Kalil não revelou nenhum, mas nos bastidores do CT falava-se, nesta sexta-feira, em Emerson Leão e em Vanderlei Luxemburgo - contratações que podem ser difíceis em razão dos problemas financeiros do Alvinegro - e em Jair Pereira, do América. Por enquanto, o comandante do time principal será o ex-meia atleticano Marcelo, que vinha treinando os juniores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.