Bruno Sousa/CAM
Bruno Sousa/CAM

Atlético-MG recebe Del Valle pela vaga antecipada às oitavas de final da Libertadores

Uma vitória simples sobre o rival equatoriano garante o time brasileiro na próxima fase do torneio

Redação, Estadão Conteúdo

19 de maio de 2022 | 11h00

Depois de se recuperar no Brasileirão, o Atlético-MG agora vai atrás da classificação antecipada às oitavas de final da Copa Libertadores. Para isso, o time precisa vencer o Independiente del Valle-EQU nesta quinta-feira, a partir das 19 horas, no Mineirão, em Belo Horizonte, pela penúltima rodada do Grupo D.

Invicto na competição sul-americana, o Atlético-MG tem oito pontos e faz apenas a sua segunda partida como mandante. Na única vez que atuou diante dos seus torcedores, o time empatou com o América-MG, por 1 a 1. Na terceira colocação, com cinco pontos, o Independiente del Valle-EQU amarga um jejum de três jogos sem vitórias na Libertadores.

O Atlético-MG viu a desconfiança de parte da torcida com o trabalho de Antonio Mohamed diminuir no último final de semana com a vitória incontestável sobre o Atlético-GO, por 2 a 0. O time não ganhava há quatro jogos no Brasileirão e começava a se distanciar dos primeiros colocados.

Para escalar o Atlético-MG, Mohamed tem problemas. O goleiro Everson testou positivo para a covid-19 e o atacante Keno sofreu uma lesão muscular na coxa direita. Eles se juntam ao lateral-direito Dodô e o atacante Eduardo Vargas, que seguem o departamento médico. Rafael e Ademir são os respectivos substitutos.

"A gente sabe da importância do jogo. Precisamos voltar a ganhar em casa na Libertadores, contamos com o apoio da nossa torcida. Tenho certeza que vai ser uma linda noite", disse o atacante Hulk, que tem um gol em quatro jogos na Libertadores.

Assim como o Atlético-MG, o Independiente del Valle-EQU tem desfalques importantes para esse jogo. O meia Lorenzo Faravelli sofreu uma entorse no tornozelo e vai ficar até três meses afastado dos gramados. A situação do também meia Nicolás Previtalli é mais grave, pois sofreu uma ruptura no ligamento cruzado anterior do joelho e só volta no fim do ano.

É bom lembrar que o time não pode ser comandado por Renato Paiva na beira do gramado, pois a Conmebol exige que os treinadores tenham trabalhado pelo menos cinco anos em um clube sul-americano ou em um clube da primeira divisão europeia. O português fez quase toda sua carreira nas categorias de base do Benfica. Miguel Bravo, da base do Independiente del Valle, é quem fica no banco de reservas.

Em situação complicada na Libertadores, o Del Valle vem de cinco vitórias seguidas no Campeonato Equatoriano e está na vice-liderança, com 26 pontos, um a menos que o rival Barcelona-EQU.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.