Atlético-MG desiste e situação de Roger segue indefinida

Jogador dono no maior salário do Corinthians - R$ 140 mil - segue 'encostado' e sem futuro no clube

Cosme Rímoli, Jornal da Tarde

11 de janeiro de 2008 | 21h11

A situação do meia Roger, dono do maior salário no Corinthians, permanece indefinida. Nesta sexta-feira, depois de o clube paulista e o procurador do atleta afirmarem que o jogador estava negociado com o Atlético-MG, dirigentes do time mineiro desmentiram a informação. Veja também: Finazzi é destaque e marca três em treino do Corinthians Mano Menezes implanta estilo 'pegador' no 1.º treino tático Antônio Carlos quer chegar à presidência do Corinthians Mano Menezes: "Camisa 10 cai bem em Acosta' "O Geninho acha que, nesse momento, não que não seja um grande jogador, mas não está em forma, ficou sem jogar ano passado. Então, nós estamos descartando o Roger", afirmou o presidente do Atlético, Ziza Valadares, que está nos Estados Unidos, em entrevista à rádio Itatiaia. Além de negociar com o Atlético, o Corinthians tentou emprestar Roger, que ganha R$ 140 mil por mês e está afastado do time, para o futebol europeu e para o Figueirense, entre outros. Nesta sexta, o clube apresentou seu 12.º reforço para a temporada, o lateral-esquerdo André Santos, de 24 anos. "Realizei um dos sonhos da vida, que é jogar no Corinthians", declarou o ex-jogador do Figueirense. O Corinthians também contratou o meia-atacante do Remo Andrezinho, de 21 anos. Mas já repassou o jogador ao Guarani para a disputa do Paulista. "Será uma tendência trazer jogadores promissores e emprestá-los para outras equipes", disse o diretor Antônio Carlos. Não há definições sobre a contratação de Fabinho, do Toulouse, e a permanência de Coelho, que não acertou transferência para o futebol da Escócia.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansRoger

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.