Atlético-MG enfrenta Paysandu sob sigilo

O técnico Celso Roth adotou a estratégia do mistério sobre a escalação do Atlético-MG, que enfrenta neste sábado o Paysandu, às 18 horas, no Mineirão, pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o todo o grupo à disposição, o treinador não definiu nem mesmo qual esquema tático irá utilizar na partida. Embora a tendência seja o treinador manter uma formação com três zagueiros, como no último jogo, ele não descarta a possibilidade de retornar ao tradicional 4-4-2.Garantir os três pontos em casa e evitar um distanciamento maior dos primeiros colocados já é considerada uma obrigação no Galo, que tem 24 pontos e está em sexto lugar na tabela de classificação. "O fundamental é que o torcedor do Atlético saiba que a gente precisa ganhar o jogo porque é importante a manutenção do Atlético com esse equilíbrio dentro da competição, principalmente nos jogos em casa. O jogo contra o Paysandu é difícil, mas a gente precisa do resultado", disse Roth, que promete divulgar o time apenas 30 minutos antes da partida.O goleiro Velloso deverá voltar ao time titular, entrando no lugar de Eduardo, que falhou no último jogo, contra o Paraná. Outra possibilidade é a entrada de Paulinho no meio. O jogador se recuperou de uma contusão no pé esquerdo e está relacionado. As chances dele jogar, porém, são maiores se o técnico optar pelo 4-4-2.

Agencia Estado,

04 de julho de 2003 | 19h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.