Atlético-MG escapa com público recorde

O Atlético Mineiro conseguiu escapar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro contando com o apoio do público recorde de 47.235 torcedores e realizou uma de suas melhores atuações na temporada, vencendo o São Caetano por 3 a 0, neste domingo à tarde, no Estádio do Mineirão. Com a vitória, o Atlético atingiu 53 pontos e fica no 19º lugar. O time paulista, também com 53 pontos, termina em 18º, devido à punição de 24 pontos imposta pelo STJD.O jogo começou equilibrado, com o Atlético demonstrando mais disposição ofensiva e com o São Caetano excessivamente na defesa. Apesar do domínio em campo, o time mineiro não tinha calma para criar lances perigosos e abrir o placar. A primeira chance aconteceu aos 26 minutos, quando Rodrigo Fabri entrou pelo lado direito do ataque, nas costas de Triguinho, e rolou para trás para o chute de Rubens Cardoso. Ele tentou duas vezes. Na primeira, a bola tocou na defesa e na segunda passou raspando a trave direita do goleiro Sílvio Luís.Este lance parece ter dado ao Galo o caminho para a vitória. Foi pelo mesmo setor que o jovem Quirino, convocado para a seleção brasileira Sub-20, passou por Thiago, bem ao estilo de um ponta direita, foi à linha de fundo e cruzou. O zagueiro Marcos Aurélio escorregou e a bola sobrou para Alex Mineiro, que ajeitou no peito e só tocou por cima de Sílvio Luís que chegou caindo no lance. Era a festa mineira aos 34 minutos, com o 1 a 0 para o Atlético-MG.Na tentativa de acabar com a apatia do Azulão, o técnico Péricles Chamusca resolveu mudar o time e o esquema no intervalo. Tirou o zagueiro Marcos Aurélio para a entrada do meia Éder, trocando o 3-5-2 pelo ortodoxo 4-4-2. No ataque, tirou o apagado Euller para a entrada de Fernando Baiano. Mas, o time paulista nem teve tempo de testar a nova fórmula, porque sofreu o segundo gol aos oito minutos. O meia Rodrigo Fabri puxou o contra-ataque, passou para Quirino que viu a entrada de Alex Mineiro na área. Ele recebeu, ajeitou e chutou cruzado. A bola ainda passou por baixo do goleiro Sílvio Luís: 2 a 0.Atônito, o São Caetano ainda tentou reagir, mas sem força no ataque. O pior aconteceu aos 23 minutos, em outro contra-ataque do Galo. Renato entrou na área pelo lado direito e cruzou, a bola passou na linha da pequena área e sobrou do outro lado para o complemento de Wagner, que tinha entrado no lugar de Quirino. Era a senha para a festa em preto e branco nas arquibancadas do Mineirão.Antes do final do jogo, ainda houve tempo para Zé Antônio ser expulso e Lúcio Flávio, aos 44 minutos, mandar uma bola no travessão após cobrança de falta. Mas a fanática galera atleticana nem ligou para isso. Era hora de festejar aliviada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.