Atlético-MG: farpas após eliminação

O presidente do Conselho Deliberativo do Atlético-MG, Alexandre Kalil, admitiu nesta terça-feira que existe uma crise de relacionamento entre os jogadores, que veio à tona após desembarque da delegação na segunda-feira à noite, no Aeroporto da Pampulha. Kalil prometeu tomar decisões corajosas para "colocar as coisas no lugar", o que pode ser interpretado como dispensa de atletas. "O que não vai faltar para nós é coragem para ajustar e colocar as coisas no lugar", disse o dirigente, que admitiu também que o problema é antigo. "Queremos ter uma equipe, um time unido. Não importa se é de garoto, se é de júnior. Enfim, a torcida está saturada e sabe o que quer e nós também sabemos o que queremos".O presidente do Conselho Deliberativo do Galo se reúne nesta quinta-feira com o técnico Geninho para discutir sobre a dispensa e a contratação de atletas para a formação do grupo que disputa o Campeonato Brasileiro, a partir do próximo dia 11. O zagueiro uruguaio Gutierrez, o lateral-esquerdo Rubéns Júnior e o volante Djair dificilmente continuarão na equipe no segundo semestre.O treinador já solicitou à diretoria a contratação de um defensor e de um meio-campista. O time mineiro terminou em penúltimo lugar, somando apenas um ponto, e com a defesa mais "vazada" - levou oito gols em três jogos - na Copa dos Campeões. Pelas declarações dos atletas, ficou claro que impera um ambiente de discórdia entre eles. O meia Alexandre, por exemplo, foi enfático ao dizer que o grupo está "rachado".O Galo estréia na competição nacional contra o Corinthians, no Mineirão. Na reunião será discutida também a realização de amistosos até o início do Brasileiro. Geninho espera fazer pelo menos três jogos contra clubes do Rio de Janeiro ou São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.