Bruno Cantini/Divulgação
Bruno Cantini/Divulgação

Atlético-MG faz 2 no final, bate Vitória e se firma no G-4

Diego Tardelli e Guilherme são os autores dos dois gols atleticanos: time tem a mesma pontuação de Grêmio e São paulo

Marcelo Portela, Estadão Conteúdo

28 Setembro 2014 | 18h16

Depois de passar aperto durante quase toda a partida, o Atlético Mineiro conseguiu arrancar dois gols em cima do Vitória nos momentos finais do jogo - um já nos acréscimos - e se manteve no G-4 do Campeonato Brasileiro. O jogo da 25.ª rodada foi bem movimentado, já que as duas equipes precisavam dos três pontos, mas com muitos erros de ambos os lados e raros lances empolgantes.

O resultado deixou o time mineiro com os mesmos 43 pontos de São Paulo e Grêmio, mas uma posição abaixo do clube tricolor paulista e uma acima dos gaúchos pelo saldo de gols, enquanto que o Vitória encerra a rodada com 24 pontos, ainda dentro da zona de rebaixamento.

Apesar de não depender apenas do resultado do próprio jogo para encerrar a rodada entre os líderes da competição, uma vitória era essencial para o Atlético garantir a permanência no G-4. Mas o time mostrou um futebol muito aquém do necessário para o objetivo, principalmente no primeiro tempo. Os donos da casa até tentaram pressionar, mas o que a equipe alvinegra exibiu foi uma série de jogadas pouco efetivas e muitos erros.

Diante dos equívocos dos anfitriões, o Vitória começou a se soltar e cresceu em campo. Porém, a equipe baiana mostrou porque amarga a atual posição, pois foram raros os sustos que deu na defesa atleticana, como uma arrancada de Vinícius pela esquerda pouco após a primeira metade da etapa inicial. O atacante conseguiu se livrar da marcação e obrigou Victor a fazer uma bela defesa para impedir que os visitantes abrissem o placar.

Só que o Atlético não soube aproveitar a má fase do adversário. Os mineiros abusaram dos passes longos, sem oferecer risco real ao Vitória. Quando o time da casa tentou criar oportunidades com passes curtos, foi mais à frente, mas mesmo assim a defesa baiana parou sem dificuldade os ataques.

Foi em uma jogada assim que o Atlético teve a sua melhor oportunidade, com Guilherme recebendo livre na entrada da área, mas o atacante mandou para fora. Um destaque negativo do anfitrião foi André, que correu bastante, mas não acertou uma jogada sequer.

As duas equipes voltaram para a etapa final mostrando muito mais disposição e o jogo recomeçou bem mais veloz. Os técnicos do Atlético, Levir Culpi, e do Vitória, Ney Franco, assumiram o mesmo risco: puseram os times avançados, com muito mais espaço para o adversário criar e grande perigo de um contragolpe.

E o Atlético levou mais perigo ao Vitória, com boa atuação do jovem Douglas Santos. Mas Roberto Fernández parecia ter fechado o gol dos baianos. Apenas quando o jogo parecia decidido o Atlético desencantou. Aos 40 minutos, Diego Tardelli avançou sobre a defesa baiana e, após boa tabela com Josué, tocou na saída do goleiro para abrir o placar e aliviar a torcida alvinegra, que já pressionava bastante.

Sentindo o baque, o Vitória ainda abriu espaço para Dodô receber cobrança de escanteio e cruzar para Guilherme arrematar de cabeça e fechar o placar. "A gente rendeu bem hoje (domingo) apesar do cansaço", avaliou Guilherme.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 2 x 0 VITÓRIA

ATLÉTICO-MG - Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Josué, Leandro Donizete, Guilherme e Diego Tardelli; Carlos (Eduardo) e André (Dodô). Técnico: Levir Culpi.

VITÓRIA - Roberto Fernández; Nino Paraíba, Roger Carvalho, Kadu (Edno) e Juan; Luiz Gustavo, Luís Cáceres, Marcinho e Escudero (Adriano); Vinícius (William Henrique) e Dinei. Técnico: Ney Franco.

GOLS - Diego Tardelli, aos 40, e Guilherme, aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Guilherme e Diego Tardelli (Atlético-MG); Kadu e Juan (Vitória).

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido de Souza (SP).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG).

Mais conteúdo sobre:
futebol Brasileirão Atlético-MG Vitória

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.