Atlético-MG faz jogo-chave e complicado na Libertadores

O Atlético Mineiro fará nesta quinta-feira, às 21h45, aquele que muito provavelmente vai ser o seu mais difícil e importante compromisso na fase de grupos da Copa Libertadores. Em Santiago, no Chile, o time encara o Colo-Colo, pela terceira rodada do Grupo 5, e busca um resultado positivo para ficar muito próximo da classificação às oitavas de final.

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

10 de março de 2016 | 07h15

Afinal, Atlético-MG e Colo-Colo despontam como favoritos a ficar com as vagas da chave, liderada pela equipe brasileira, que somou seis pontos nas duas rodadas iniciais, enquanto a equipe chilena está com quatro, assim como o equatoriano Independiente del Valle, que já entrou em campo pela terceira rodada. Assim, o confronto não é só importante na definição das vagas, mas também deve ser encarado como importante na disputa pela liderança da chave.

Após sofrer com desfalques, seja por lesões ou pela dificuldade em inscrever alguns jogadores, o técnico Diego Aguirre vai para esse confronto tendo à disposição praticamente a força máxima. Melhor ainda, o Atlético chega ao Chile com a sua principal contratação, o atacante Robinho, empolgado pelos três gols marcados no último fim de semana, diante do Tombense, pelo Campeonato Mineiro.

Robinho, aliás, sempre foi um temor para o torcedor chileno, pois liderou o Brasil diversas vezes em vitórias sobre a seleção nacional, tanto que uma das outras três vezes na sua carreira em que marcou três vezes numa única partida foi diante do Chile, na Copa América de 2007, quando marcou todos os gols do triunfo por 3 a 0.

Além de Robinho, Aguirre manterá a aposta em uma formação ofensiva no Atlético, com um quarteto que é completado pelo argentino Lucas Pratto, Luan e o equatoriano Juan Cazares. Apesar disso, o time sabe que não encontrará facilidades nesta quinta.

"Estamos encarando como uma decisão, o jogo mais importante para nós até o momento, então, precisamos estar focados, todo mundo atento porque vai ser um jogo difícil lá. Tenho certeza que, se a gente vencer, fica com o pé na frente para a classificação", afirmou Luan.

O Colo-Colo deverá mesmo ser um duro adversário. O time lidera o Torneio Clausura do Chile e vem embalado por uma expressiva vitória, por 3 a 0, sobre a Universidad Católica, no último fim de semana. E o bom momento faz seus torcedores sonharem com a repetição do título de 1991 da Libertadores.

Para isso, o time quer repetir o que ocorreu no ano passado, quando também se encontrou com o Atlético-MG e o derrotou por 2 a 0, em casa, na sua estreia na fase de grupos - posteriormente, cairia pelo mesmo placar, em Belo Horizonte, na rodada final e deixaria a competição.

Nesta quinta, o técnico José Luis Sierra, ex-jogador do São Paulo, não poderá utilizar o zagueiro argentino Matias Zaldivia, contundido. E a ausência do jogador provocará outras mudanças em outro setor, pois o volante Claudio Baeza é o principal candidato a atuar na zaga. Assim, a sua vaga no meio-de-campo seria herdada por Martín Rodríguez.

Mas as esperanças do Colo-Colo e da sua fanática torcida, que deverá lotar mais uma vez o Estádio Monumental, estão mesmo depositadas no veterano atacante Esteban Paredes, de 35 anos, que já marcou dois gols nesta edição da Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.