Célio Messias/AE
Célio Messias/AE

Atlético-MG ganha do Palmeiras e foge da zona de rebaixamento

Vitória por 2 a 0 sobre os reservas do time alviverde garante vantagem sobre os adversários

estadão.com.br

21 de novembro de 2010 | 18h54

SÃO PAULO - O Atlético Mineiro fez o que lhe era esperado neste domingo: venceu o time reserva do Palmeiras por 2 a 0, na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara (SP), e chega assim a 42 pontos, mantendo-se fora da zona de rebaixamento da classificação do Campeonato Brasileiro, a duas rodadas do final.

Veja também:

SÉRIE A - tabelaClassificação | listaCalendário/Resultados

Um resultado que lhe deixa pelo menos dois pontos a frente dos que se permanecerão na Série A e mantém em suas mãos a chance de escapar. Precisa vencer, nos próximos dois domingos, o Goiás (jogo do próximo domingo, como mandante) e o São Paulo (na última rodada, fora de casa). Resultados nada improváveis ao time, que melhorou no segundo turno desde que o técnico Dorival Júnior assumiu.

E o Palmeiras? Bem, cumprindo tabela, se preocupa com a Copa Sul-Americana, onde joga na quarta-feira o duelo de volta da semifinal com o Goiás (com vantagem de ter vencido na ida por 1 a 0). Como não cai e não vai à Libertadores (está parado nos 50 pontos), cumpre tabela nas duas últimas rodadas contra Fluminense (casa) e Cruzeiro (fora).

Em campo. Apesar de ter um time jovem, o Palmeiras demonstrou vontade. Seu problema era o desentrosamento da equipe - errando muitos passes, especialmente em tentativas de tabelas - e o fato de ter jogado mais de uma hora de partida com um a menos (Gualberto foi expulso aos 33 minutos do primeiro tempo após o segundo cartão amarelo por outra falta dura, para parar a jogada do adversário).

Já o Atlético-MG começou nervoso. Demorou pelo menos quinze minutos para se acertar em campo. Viu Renan Ribeiro fazer uma grande defesa em chute de fora de Fabrício e o goleiro palmeirense Bruno fazer grandes defesas em chute de Neto Berola (que entrou no lugar de Diego Tardelli, machucado, com 24 minutos de jogo). Ou então a bola passar raspando a trave, como numa cabeçada de Obina.

O torcedor de Araraquara, em sua grande maioria a favor do Palmeiras, teve de se contentar em ver gol do rival. Diego Souza, aos 30 minutos, em cobrança de falta em que a bola desviou na barreira, fez 1 a 0. E, alegando respeito ao ex-time, não quis comemorar, evitando até mesmo o abraço de seus atuais companheiros no time atleticano.

No segundo tempo, quando a situação se repetia - o Palmeiras tentando alguma jogada de ataque, mas esbarrando em seus erros -, o Atlético-MG conseguiu consolidar sua vitória. Aos 32 minutos, Obina pegou a bola na área, driblou os zagueiros com jogadas curtas e chutou para o goleiro Bruno espalmar. Neto Berola, no rebote e num chute forte, conseguir fazer 2 a 0.

PALMEIRAS - 0 - Bruno; Leandro Amaro, Fabrício e Gualberto; Vítor, Fernando (Jean), Pierre, Patrik e Rivaldo (Luís Felipe); Dinei e Ewerthon (Vinícius). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

ATLÉTICO MINEIRO - 2 - Renan Ribeiro; Rafael Cruz, Werley, Lima e Leandro; Zé Luís, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza (Ricardinho); Diego Tardelli (Neto Berola) e Obina (Daniel Carvalho). Técnico: Dorival Júnior.

Gols - Diego Souza, aos 30 minutos do primeiro tempo; Neto Berola, aos 32 minutos do segundo tempo; Árbitro - Marcio Chagas da Silva; Cartões amarelos - Patrik, Fabrício, Vitor (PAL), Zé Luís, Neto Berola e Lima (ATL); Cartão vermelho - Gualberto (PAL); Público - 9.662 pagantes; Renda - R$ 105.855,00; Local - Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.