Atlético-MG joga em casa para sacramentar classificação e recuperar a confiança

Praticamente classificado às oitavas de final da Copa Libertadores, o Atlético Mineiro deveria estar passando por um momento de tranquilidade para o compromisso desta quinta-feira, às 19h30, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte, diante do Melgar, do Peru, pela rodada final do Grupo 5, mas a situação é bem diferente. Questionado por recentes resultados ruins e sofrendo com vários desfalques, o time jogará em busca da paz e do resgate da confiança.

LEANDRO SILVEIRA, Estadão Conteúdo

14 de abril de 2016 | 07h33

Líder da sua chave com 10 pontos, o Atlético só não se classificará para a próxima fase caso ocorra uma improvável combinação de resultados, que inclui uma derrota por ao menos dois gols de diferença. Mas a partida interessa muito ao time, até para garantir o primeiro lugar da sua chave - tem os mesmos 10 pontos do segundo colocado Independiente del Valle, mas saldo de gols superior - e eventuais vantagens nas fases seguintes da Libertadores.

Além disso, o time espera recuperar o bom futebol que o levou a somar 10 pontos nos quatro primeiros compromissos na Libertadores, o colocando como um dos favoritos ao título continental, e voltar a exibir a sua força após uma semana de dois tropeços.

Nos últimos dias, o Atlético perdeu a sua invencibilidade na Libertadores ao ser batido no Equador pelo Independiente del Valle (3 a 2) e também sofreu uma surpreendente derrota no seu último compromisso na primeira fase do Campeonato Mineiro ao perder para o Tricordiano (4 a 2), em casa, ainda que com o time reserva.

A queda de rendimento provocou questionamentos ao trabalho do técnico uruguaio Diego Aguirre e levou até o presidente Daniel Nepomuceno a se reunir com o elenco no início desta semana, exigindo que os erros não se repitam no momento de afunilamento das competições.

Por isso, o Atlético sabe que precisa dar uma resposta nesta quinta-feira no Mineirão, logo o palco do seu grande momento na história da Libertadores - a conquista do título de 2013 -, mostrando que pode voltar ao estádio para disputar jogo de caráter ainda mais decisivo e reviver essas glórias.

O problema é que o Atlético volta a sofrer com o excesso de desfalques, especialmente no setor ofensivo. O último jogador a se lesionar foi o atacante Luan, considerado titular absoluto e que sofreu lesão no joelho direito. Ele se junta a outros jogadores indisponíveis a Aguirre no setor como Hyuri, Patric e Clayton.

Por isso, Aguirre deve escalar o Atlético com três volantes diante do Melgar - Leandro Donizete, Rafael Carioca e Júnior Urso -, embora o meia argentino Dátolo, recém-recuperado de lesão, não esteja descartado e deva ser aproveitado contra o Melgar. A ideia do treinador será dar mais liberdade ao meia Cazares e aos atacantes Lucas Pratto e Robinho, que apesar de ser o artilheiro do Campeonato Mineiro com nove gols, ainda tenta marcar o seu primeiro na Libertadores.

O adversário desta quinta-feira tem tudo para ser o adversário ideal para isso. Afinal, o Melgar é um dos times que não pontuou na fase de grupos da Libertadores e realiza campanha ruim no Torneio Apertura do Peru. Assim, tentará ao menos terminar a sua participação pontuando, o que pode ajudar o técnico Juan Reynoso, hoje bastante questionado, a permanecer à frente do time. Para isso, porém, terá que conter a equipe que o derrotou na estreia na Libertadores, no Peru, e desta vez em um Mineirão lotado.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolLibertadoresAtlético-MG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.